Notícias de Caçador e Região

RETRO: Ano sangrento com mortes e tragédias

2015 foi marcado por muitas tragédias e crimes tanto em Caçador como em toda região. Para começar, no segundo dia do ano, um homem foi executado com um tiro em Lebon Régis.

Poucas horas depois, uma idosa é encontrada morta dentro de casa na Vila Santa Terezinha. O marido dormia no quarto ao lado e contou que não viu como o crime aconteceu.

Já em Santa Cecília, uma simples briga por som alto causou a morte de uma mulher. Ela levou uma facada no olho.

Em outro assassinato, uma mulher foi encontrada morta dentro de casa. Ela foi assassinada com um tiro na boca.

Já na Morada do Sol, um homem foi assassinado a golpes de barra de ferro e, no Centro de Caçador, um homem foi encontrado morto.

Um jovem, que provavelmente foi assassinado, foi encontrado no interior de Caçador. O corpo estava às margens de uma estrada secundária da linha Caixa D’Água. A Polícia Militar esteve no local e o IGP foi acionado para recolher o corpo. Ele foi identificado como Cláudio Machado.

Festas em chácaras nem sempre são boas opções. Em uma delas em agosto deste ano, dois jovens morreram e outros quatro ficaram feridos após uma briga. Um dos feridos informou que a confusão começou por causa de uma mulher. O acusado de matar os jovens foi preso 3 dias depois e alegou ter cometido o crime em legítima defesa.

E o trânsito que mata fez diversas vítimas em toda região. Dezenas de pessoas perderam suas vidas em acidentes por conta de falha humana e, também, por causa das péssimas condições das rodovias.

Foi o mesmo trânsito que tirou a vida de quem cuida da vida. No início do ano, o carro em que uma enfermeira estava saiu da pista e bateu em uma árvore. Ela morreu na hora. Pouco tempo depois, uma médica caçadorense morreu quando o carro em que ela estava saiu da pista e também bateu em uma árvore.

Uma mulher morreu em acidente na SC 350 no mês de janeiro. A hipótese levantada na época é que ela teve um mau súbito ao volante.

Já no bairro Martello, um caminhão sem controle disparou em uma rua. O acidente aconteceu durante a madrugada. Várias pessoas ficaram feridas e uma morreu na hora.

Em Fraiburgo, um índio morreu atropelado. Menos de um mês depois, mais um índio também morreu atropelado.

No Planalto Sul, uma tragédia com um ônibus da Reunidas matou 9 pessoas. O ônibus estaria a 70 km/h.

Mas, a maior tragédia no trânsito de 2015 na região aconteceu no Castelhano. Uma colisão entre um caminhão carregado de tomates e um ônibus com estudantes deixou três pessoas mortas e mais de 40 feridas.

Algum tempo depois, o inquérito apontou que o motorista do caminhão foi o responsável pelo acidente. Ele havia usado cocaína e outras drogas pouco antes da colisão.

Em outra tragédia, desta vez causada por um motorista bêbado, um casal que passava a lua de mel na região morreu. O condutor do caminhão invadiu a pista contrária e atingiu o Gol em que eles estavam. O jovem, de 21 anos, foi preso e deverá ir a júri popular.

E o trânsito letal não poupou nem a vida das pequenas crianças. Um acidente ceifou a vida de um menino, morador da Vila Santa Terezinha. Ele brincava no pátio de uma igreja e foi atingido por um veículo em alta velocidade.

Na SC 135, um homem morreu em grave acidente. Sua caminhonete saiu da pista.

Mais uma vítima de acidente de trânsito foi o coordenador da Defesa Civil de Caçador, Sérgio Eloy Bisotto. Ele sofreu acidente no Paraná e ficou internado por vários dias até se recuperar. Felizmente, Bisotto voltou normalmente às suas atividades.

O ano das tragédias teve diversos acidentes na Honorino Moro. Em um dos mais graves, um homem morreu em acidente com uma Kombi. Ainda famosa Honorino Moro, um homem também morreu atropelado.

Já no trevo do Sesi, um motociclista morreu ao perder o controle e bater em um poste.

Em outro acidente um homem acabou morrendo após colidir seu carro contra um caminhão. Antes do acidente a vítima tinha esfaqueado sua mulher na vila Santa Terezinha. Outra mulher morreu em acidente no trevo para Calmon. Uma mulher grávida também morreu na rodovia. Ela perdeu o controle do carro ao passar em uma poça de água e bateu com violência no rodado de uma carreta. O bebê também não sobreviveu.

Mas os acidentes não ficam só em vias rápidas.

Em outubro uma idosa morreu após ser atropelada enquanto andava em uma rua do bairro Figueroa. Ela foi atingida por um Kadett que seguia em alta  velocidade.

Indo para Lages, o marido da jornalista caçadorense Lidiane Cattani morreu em acidente. O cãozinho que ele levava para o veterinário também morreu dias depois.

Dentro da cidade, um jovem motociclista que teve a frente cortada por uma caminhonete morreu pouco tempo depois de dar entrada no hospital. O acidente aconteceu na rua José Gioppo.

 

Em Iomerê, um carro com placas de Caçador capotou. Uma pessoa envolvida no acidente morreu no local.

Um ônibus que trazia acadêmicos de Santa Cecília para Caçador atropelou e matou um homem na SC 350, no Castelhano.

O motorista de um caminhão da Transrodace, com placas de Caçador, morreu em grave acidente, na SC 135, próximo da divisa com Rio das Antas.

A crueldade ultrapassou novamente os limites. Casos de estupros contra crianças foram registrados também durante 2015. No primeiro, um homem foi preso, em janeiro, pelo estupro de uma criança de apenas 3 anos.

Acusado de estupro contra uma menor, de 13 anos, foi preso em Caçador. Ele teria sido flagrado pela mãe da jovem.

Um suspeito de estuprar uma menina de 11 anos foi preso pela DIC Caçador. O jovem tinha 18 anos e mantinha um relacionamento com a menor.

Outra prisão de um homem pai de 4 filhos que estuprou uma menina de 11 anos. O crime aconteceu em um matagal na bairro Nossa Senhora Salete.

Um caso monstruoso e cruel que marcou de forma negativa 2015 foi o do pai que espancou suas filhas gêmeas de um mês. O crime aconteceu em maio e o motivo foi porque uma delas estava chorando com dor de ouvido. Uma semana depois do espancamento uma das meninas morreu. O criminoso foi a júri popular em dezembro e acabou condenado a 43 anos de prisão.

Outro crime que marcou foi de outro homem que engravidou uma menina de 12 anos e abusou de outra de 7 anos. O acusado tinha 42 anos e em sua casa foram encontrados vários objetos de cunho sexual.

O mais recente foi de um pai que estuprou sua filha de 3 anos. Felizmente ele foi condenado a 26 anos e 8 meses de prisão.

O trabalho dos Bombeiros no combate a incêndios também foi intenso em 2015. Logo no início do ano, um homem ateou fogo no Lojão do Real. Graças à ação rápida dos Voluntários, uma tragédia maior foi evitada.

No bairro Martello, os Bombeiros tiveram bastante trabalho para apagar as chamas de uma casa onde o ex-marido é suspeito de ter ateado fogo. Na residência estavam a ex-mulher e 3  crianças.

Foi no mesmo Martello que um curto circuito causou incêndio em uma sala comercial e que mãe e filha escaparam de um incêndio em uma pequena residência.

Em Lebon Régis, um silo da Coopercampos pegou fogo por duas vezes seguidas em pouco tempo.

Já no bairro Alto Bonito, uma cozinha industrial pegou fogo. Como não havia ninguém no local no momento, vizinhos suspeitam que uma panela no fogo possa ter sido a causa do início das chamas.

Em maio, uma residência foi completamente destruída por incêndio na Vila Santa Catarina.

Um aviário pegou fogo na última sexta-feira, 19, no interior de Caçador. A família proprietária do aviário, moradora na Linha São Francisco, conteve as chamas com mangueiras de irrigação, até  a Unidade de Combate a Incêndio chegar ao local.

 

O maior incêndio que Caçador registrou em 2015 foi em um deposito na SC 350. Os bombeiros demoraram mais de 24h para apagar as chamas. Foram utilizados mais de 300 mil litros de água e cerca de 30 bombeiros trabalharam, em turnos, para conter o fogo.

Outro fato envolvendo fogo aconteceu recentemente em um bar de Caçador. Um homem teve 70% do corpo queimado. Ele estava fazendo um churrasco quando o litro que continha álcool explodiu e o atingiu.

 

 

 

 

Veja Também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.