AstraZeneca admite ter efeito colateral ‘muito raro’ em vacina contra Covid-19

Jonathan Ribeiro

Jonathan Ribeiro

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

AstraZeneca

A gigantesca farmacêutica AstraZeneca reconheceu que sua vacina contra Covid-19 pode “em casos muito raros, causar TTS (síndrome de trombose com trombocitopenia). A declaração acontece após 51 famílias da Inglaterra entrarem com uma ação contra a empresa. 

De acordo com o estudo, a síndrome de trombose cria coágulos de sangue, o que aumenta os riscos de entupimento de veias e artérias.

As famílias que processaram a indústria pedem indenização de até £ 100 milhões, cerca de R$ 650 milhões.

AstraZeneca foi importante, diz Ministério da Saúde

A divulgação da informação no Brasil ganhou a população. Por meio de nota o Ministério da Saúde declarou que, sem esta vacina, o cenário de mortes por Covid-19 no Brasil seria muito maior.

Segundo a pasta, a vacina fabricada pela empresa AstraZeneca/Oxford, desenvolvida no início da pandemia, e produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), foi extremamente importante para o controle dos casos e a redução de óbitos por Covid-19 no país e no mundo, salvando milhares de vidas. Desde dezembro de 2022, essa vacina é indicada para pessoas a partir de 40 anos, de acordo com as evidências científicas mais recentes.

“O atual cenário da Covid-19 no país, com redução de casos graves e óbitos pela doença, é resultado da população vacinada. Os eventos adversos, inerentes a qualquer medicamento ou imunizante, são raros e ocorrem, em média, um a cada 100 mil doses aplicadas, apresentando risco significantemente inferior ao de complicações causadas pela infecção da Covid-19”, diz o Ministério da Saúde.

Com informações ND Mais 

LEIA TAMBÉM: Vacina da gripe é liberada para crianças de até 12 anos em SC

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp