Notícias de Caçador e Região

Zé Trovão pode voltar à prisão por causa de vídeo; entenda

Após Marco Antonio Pereira Gomes, conhecido como Zé Trovão, gravar um vídeo convocando os caminhoneiros para um protesto em frente às refinarias e em frente à Petrobras no próximo dia 27, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, intimou a defesa de Zé Trovão para explicações.

Para lembrar: após se entregar à Polícia Federal e ir preso no dia 26 de outubro do ano passado acusado incitar a violência contra o Congresso Nacional e o STF ao articular atos contra as instituições no feriado de 7 de setembro, Zé Trovão teve a prisão domiciliar concedida no dia 17 de dezembro de 2021. No entanto, havia condicionantes à prisão domiciliar, como uso de tornozeleira eletrônica e proibição de uso das redes sociais ou entrevistas sem autorização judicial prévia.

Ocorre que no último domingo, dia 19/6, Zé Trovão voltou a usar as redes sociais para fazer um chamamento aos caminhoneiros por causa do aumento dos combustíveis.

“Estou colocando minha liberdade em risco aqui, mas tenho um compromisso com meus irmãos de estrada…..Vou pedir para todos os caminhoneiros que não parem neste dia 20 de junho. Vamos esperar mais uma semana e na segunda-feira, dia 27, daí sim tomamos uma atitude. Vamos todos para frente das refinarias e aqueles que estiverem em Brasília vão para frente da Petrobras. Daí vamos fazer a paralisação acontecer. É dessa maneira que vamos alcançar o objetivo. De outra maneira não vai dar certo. Caminhoneiros, não parem em cima da pista e não parem a BR”, convocou Zé Trovão em vídeo.

A defesa do militante caminhoneiro encaminhou nota à imprensa sobre o caso. Os advogados Elias Mattar Assad e Thaise Mattar Assad tentam amenizar a situação dizendo que  Zé Trovão acalmou os ânimos da classe dos caminhoneiros e não o contrário e que ele não desrespeitou nenhum dos poderes.

 

Na qualidade de defensores de Zé Trovão, informamos:

  1. Zé Trovão figura no inquérito 4879 do STF, como investigado e após sua apresentação e prisão, foi libertado com monitoramento eletrônico para poder circular pelo estado de Santa Catarina – com restrições para utilizar redes sociais;
  2. Na data constante do twitter (foto acima), soube que uma outra liderança dos caminhoneiros estaria convocando uma greve para segunda-feira seguinte e, por interesse público nacional, divulgou um comunicado para impedir a greve convocada, que acabou não se realizando;
  3. Em data de hoje (quarta-feira, dia 22), esta defesa justificou ao Sr. Ministro Alexandre de Moraes que embora possa parecer uma violação, subjetivamente agiu por uma causa nobre acalmando os ânimos da classe dos caminhoneiros;
  4. Em momento algum foi desrespeitoso com quaisquer dos poderes, em especial o Judiciário, posto que tem cumprido com todas as restrições impostas – tendo agido desta vez unicamente movido pelo interesse público de estancar uma greve que teria repercussões sociais graves.”

No entanto, mesmo com os argumento da nota, os advogados não descartam a possibilidade de o ministro tomar decisões mais duras, inclusive pedindo o retorno de Zé Trovão à prisão. Se isto acontecer, vão tomar as providências para defendê-lo.

“Caso aconteça, faremos o estudo dentro do que ele (ministro) ponderar”, concluiu Elias Mattar Assad.

 

Com informações ND+

Veja Também

Comentários estão fechados.