Vereador do RS que atacou baianos diz que esposa pensa em deixá-lo

Notícia Hoje

Notícia Hoje

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

Em um vídeo publicado no Instagram na noite dessa quinta-feira (2), o vereador Sandro Fantinel (sem partido) chorou ao dizer estar “extremamente arrependido” por ter cometido xenofobia contra baianos.

Fantinel pediu desculpas e disse que a família está sofrendo ameaças e que a esposa pensa até em romper o casamento após a fala em defesa de empresários e de vinícolas autuadas por trabalho análogo à escravidão no Rio Grande do Sul.

Também nessa quinta-feira, a Câmara de Vereadores de Caxias do Sul aceitou os pedidos de cassação do mandato do vereador, propostos em conjunto pelas Defensorias Públicas Estaduais do Rio Grande do Sul e da Bahia.

“Se as pessoas atacassem a mim, se eu pagasse pelos erros que eu cometi, a gente paga, porque quando a gente erra a gente tem que pagar. Mas o que tá acontecendo é que minha esposa chora noite e dia recebendo mensagens ofendendo ela com todos os piores nomes que vocês podem imaginar. Ela está pensando até em me deixar”, disse o político no vídeo de arrependimento.

O vereador também disse que os pais dele, de 80 anos, estão sofrendo ataques. “O meu pai e a minha mãe com 80 anos só choram dia e noite pelas ligações maldosas e ofensas que estão recendo”, disse.

Sandro Fantinel ataca baianos

Com postura bem diferente do vídeo de arrependimento, no dia 28 de fevereiro, Sandro Fantinel tentou defender empresas fabricantes de vinhos, espumantes e sucos investigadas por trabalho escravo. Na tentativa de justificar o crime, ele disparou falas xenofóbicas contra baianos e nordestinos em geral.

O parlamentar usou a tribuna da Câmara dos Vereadores para pedir que produtores da região “não contratem mais aquela gente lá de cima”. A maioria dos contratados para a colheita da uva são do estado nordestino.

Ele ainda sugeriu para darem preferência a empregados vindos da Argentina, pois, segundo ele, seriam “limpos, trabalhadores e corretos”.

Repúdio, investigação e expulsão

O vereador Sandro Fantinel já foi alvo de dois pedidos para cassação na Câmara de Caxias do Sul. Agora, o Ministério Público do Trabalho do Rio Grande do Sul também vai investigar o parlamentar por apologia ao trabalho escravo. O político foi expulso do Patriota na quarta-feira (1º).

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, condenou, por meio das redes sociais, a fala do parlamentar.

“O discurso xenófobo e nojento de vereador de Caxias contra o Nordeste não representa o povo do Rio Grande do Sul. Não admitiremos esse ódio, intolerância e desrespeito na política e na sociedade. Os gaúchos estão de braços abertos para todos, sempre”.

O governador da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT) também comentou sobre o caso. “Eu repudio veementemente a apologia à escravidão e não permitirei que tratem nenhum nordestino ou baiano com preconceito ou rancor”.

“É desumano, vergonhoso e inadmissível ver que há brasileiros capazes de defender a crueldade humana. Determinei, portanto, a adoção de medidas cabíveis para que o vereador seja responsabilizado pela sua fala”, completou.

Com informações BHAZ 

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp