Notícias de Caçador e Região

Valmor de Paula explica ação movida para apurar suposta candidatura “laranja”, em Caçador

Valmor de Paula, vem a publico fazer os seguintes esclarecimentos no que diz respeito a ação de cassação do registro candidaturas, bem como dos mandatos do Partido Progressista de Caçador-SC, nas eleições de 2020, nos seguintes termos:

1) O PT, após receber denuncias de terceiros de uma eventual candidatura fictícia para atender a lei das cotas de gêneros e que esta candidata teria feito campanha para outro candidato;

2) Após pesquisa realizada na pagina no Facebook da candidata, supostamente fictícia, constatamos que realmente havia pedido de votos para outro candidato;

3) A lei eleitoral é muito clara no sentido de que comprovada a fraude, através de candidaturas “laranja” será cassada a chapa inteira do partido, que em tese cometeu a fraude.

Em alguns meios de comunicação foi veiculado que a tese alegada pelo PT, seria a ínfima votação alcançada pela candidata, esclarecemos em tempo que este foi apenas um dos fatores, porém o principal argumento e tese dos autores da ação é 𝙨𝙚 𝙖 𝙘𝙖𝙣𝙙𝙞𝙙𝙖𝙩𝙖 𝙛𝙚𝙯 𝙘𝙖𝙢𝙥𝙖𝙣𝙝𝙖 𝙥𝙖𝙧𝙖 𝙨𝙞 𝙤𝙪 𝙥𝙖𝙧𝙖 𝙨𝙚𝙪 𝙨𝙤𝙜𝙧𝙤? Porque mesmo ela sendo candidata esta fazia pedido de votos para seu sogro.

Compulsando a prestação de contas da candidata, constatou-se que ela contratou um cabo eleitoral, sobrinho da candidata supostamente fictícia, sendo que este igualmente em sua pagina no Facebook, pedia votos para seu avô e não para candidata.

No que diz respeito a as afirmações de que o PT, não tendo sucesso nas urnas, tenta conquistar uma cadeira na câmara municipal através do poder judiciário, é importante esclarecer: nem um partido no Brasil, luta e defende mais a democracia e o resultado das urnas do que o PT.

Se no caso, não fosse substituída a candidata do PP, que teve sua candidatura feminina indeferida e substituída pela supostamente fictícia, o PP teria que tirar 03 candidaturas masculinas, levando em consideração os dois candidatos homens menos votados somaram juntos 145 votos, e o PT não conquistou uma vaga por uma diferença de 100 votos, ou seja conquistaria uma cadeira na câmara.

Recorrer a justiça é um direito garantido na Constituição de todo aquele que se sentir lesado em algum direito.

O que o PT busca é um direito que lhe foi tirado, através de uma suposta fraude, porém respeitando o devido processo legal e a justiça que analisando as provas ira proferir a sentença favorável, a quem assiste razão.

Veja Também

Comentários estão fechados.