Notícias de Caçador e Região

Vacinação contra a Covid-19 vai iniciar com profissionais da saúde, idosos com mais de 75 anos e população indígena

O Ministério da Saúde do Brasil apresentou, na terça-feira (1), definições preliminares da estratégia que vai pautar a vacinação da população contra a Covid-19. Segundo a definição, a vacinação deve acontecer em quatro etapas – a primeira vai vacinar prioritariamente profissionais da saúde, população indígena, idosos com 75 anos ou mais, além de pessoas com mais de 60 anos que vivem em asilos ou instituições psiquiátricas.

Nas definições preliminares, foram tratados pontos como grupos prioritários, eixos estratégicos do plano operacional, expectativas de prazos, investimento na rede de frio para armazenamento das doses, processos de aquisição de agulhas e seringas para atendimento da demanda e as fases da vacinação dos grupos prioritários.

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, frisou a importância de viabilizar o Plano de Vacinação e reforçou que o Ministério e entidades parceiras possuem ampla base técnica para elaboração das estratégias de forma a atender com excelência a todos os objetivos propostos no plano. Ele reforçou, ainda, que o SUS tem hoje o maior programa de vacinação do mundo, o que fortalece a estratégia de vacinação contra a Covid-19.

Saiba quais são as quatro fases conforme a coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI), Francieli Fontana:

Primeira fase:

Trabalhadores da saúde;
População idosa a partir de 75 anos;
Pessoas com 60 anos ou que vivem em instituições de longa permanência (asilos ou instituições psiquiátricas);

Segunda fase:
Pessoas de 60 a 74 anos;

Terceira fase:

Pessoas com comorbidades que apresentam maior chance para agravamento da doença (como portadores de doenças renais crônicas, cardiovasculares, entre outras);
Quarta fase:

Professores;

Forças de segurança e salvamento;
Funcionários do sistema prisional;
População privada de liberdade.

Ao todo, os quatro momentos da campanha somam 109,5 milhões de pessoas vacinadas, em duas doses, como previsto pelos esquemas vacinais dos imunizantes já garantidos pelo Ministério da Saúde – Fiocruz/AstraZeneca e por meio da aliança Covax Facility. O planejamento pode sofrer alterações após resultados de estudos das vacinas candidatas.

Seringas e agulhas

O Ministério da Saúde negocia aquisições de seringas e agulhas para atender à demanda para vacinação contra o coronavírus. No momento, conforme informou a pasta, está em andamento processo de compra de 300 milhões de seringas e agulhas no mercado nacional para aplicação das doses, e outras 40 milhões no mercado internacional. Para a aquisição interna, já foi realizada pesquisa de preços e emissão de nota técnica para elaboração do edital de compra, que será lançado na próxima semana.

Com Clic RDC 

Veja Também

Comentários estão fechados.