Notícias de Caçador e Região

Tutor de cão-bombeiro, que morreu em serviço, faz tatuagem no braço em homenagem ao animal

Barney morreu no momento em que fazia buscas por uma pessoa desaparecida em um rio

55

A imagem do fiel amigo agora acompanha o soldado Luciano Rangel. Tutor do cão-bombeiro Barney, ele tatuou o braço esquerdo em homenagem ao cachorro, que morreu tragicamente no início de maio. O desenho com a cara do animal é baseada em uma foto de Barney. A tatuagem foi feita na terça-feira, dia 14, em Lages, onde o soldado mora.

O labrador do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina pulou no Rio Urussanga em Içara, no Sul do estado, durante buscas por uma pessoa desaparecida. Após mergulhar, não retornou mais à superfície. O acidente ocorreu no dia 2 de maio. O cachorro atuava em situações de buscas e chegou a ser levado a Brumadinho (MG) para ajudar a encontrar vítimas.

“Quando o coração transborda, ele transparece na pele. Primeira sessão em homenagem ao meu parceiro, definitivamente marcado para sempre em minha vida. Meu Barney!”, escreveu Rangel ao publicar a imagem em uma rede social.

O tatuador de Lages, Jean Grassi, entrou em contato com Rangel depois de saber da morte do cão através de um amigo, que também é bombeiro. “A gente comentou um pouco sobre isso e eu fiquei com aquilo na cabeça”.

Ele disse que já tinha a ideia da tatuagem relacionada a Barney antes do acidente com o cachorro. “Só que faltava tempo, faltava organização para eu fazer. E aqui um tatuador, Jean Grassi, aqui de Lages me procurou, que ele faria para mim a tatuagem sem custos, de forma voluntária, em gratidão aos serviços que eu e o Barney prestamos à comunidade lageana e serrana”, contou o bombeiro.

A primeira sessão da tatuagem foi feita na manhã de terça. Mais detalhes serão acrescentados à imagem em outra oportunidade.

Morte de Barney

Após o cão sumir no rio, os bombeiros fizeram buscas pelo corpo. O animal foi encontrado no dia 5 de maio, em um rio de Sangão, após quase dois dias de buscas. Barney tinha dois anos. O cachorro estava no batalhão em Lages, mas atuava em salvamentos em vários pontos do estado. No dia do acidente fatal, segundo os bombeiros, ele teria mergulhado para apontar o local onde estaria a vítima desparecida, mas não retornou à superfície.

Com informações do G1

 

Veja Também
Comentários
Loading...