quarta-feira , 22 fevereiro 2017
Início / Colunas / Três regras gramaticais importantes – Clarice Seidel Paulino

Três regras gramaticais importantes – Clarice Seidel Paulino

Para auxiliá-lo, relacionamos a seguir três regras gramaticais que tem provocado dúvidas aos redatores e deixam os corretores de “cabelo em pé”.

USO DE PRONOMES RELATIVOS

Os pronomes relativos substituem um termo da oração anterior e estabelecem relações entre duas orações dentro de um mesmo período. Veja:

Respeitamos as leis. As leis regem nosso país.

Respeitamos as leis que regem nosso país.

O pronome relativo cujo, e suas flexões, tem valor possessivo, ou seja, só pode ser utilizado quando a segunda oração apresentar elementos possuídos pelo termo retomado. Veja:

Eu respeito um país cuja nação luta pela verdade.  (correto)

Aquele homem cujo chamamos presidente…

(errado)

 

Outro equívoco ocorre com o advérbio onde, que deve ser usado apenas para indicar lugar. Um erro muito comum que mesmo escritores experientes  cometem com frequência, é o emprego de onde no lugar de qualquer pronome relativo, sem que haja indicação de lugar.

Ex: Esta é a cidade onde nasci. (correto)

O campeonato de boliche é onde meu time sempre ganha.  (errado)

 

CUIDADO COM A REGÊNCIA

Exemplo:

Chegou “no” Brasil.

Verbos de movimento exigem a, e não em:

Chegou ao Brasil.

Chegaram à cidade.

Vai amanhã ao (e não “no”) cinema.

Levou os filhos ao (e não “no”) circo.

 

Outro exemplo:

Emprestei dele o livro.

Emprestar é ceder, e não tomar por empréstimo. Assim, temos:

Peguei o livro dele emprestado.

Vou emprestar o livro (ceder) a um amigo.

PRONOMES ESTE E ESSE

A confusão na hora de usar os pronomes demonstrativos este e esse e suas variações (isto, esta, deste, neste,etc) é bastante comum em textos – sejam redações, sejam artigos jornalísticos, legendas de filmes ou até mesmo livros. O correto é utilizar ESTE para demonstrar proximidade com o enunciador.

Já ESSE, estaria afastado do enunciador e, normalmente, fica mais próximo do receptor. Veja no exemplo a seguir:

Este livro é meu, esse aí é o seu.

Também usamos este para indicar o tempo em que estamos: este ano, este mês, esta semana. Esse é para o tempo passado  e este, para o futuro.

Ex: Fui ao teatro nesse sábado.

Irei ao teatro neste sábado.

Ainda, para elementos já citados, usamos esse; para elementos que serão anunciados, utilizados este. Veja:

Ela não me ama mais, essa é a verdade.

O que espero de você é isto: seja um bom pai.

Assim, ao redigir o seu texto ou escrever qualquer enunciado, preocupe-se com a boa escrita e a adequação às regras gramaticas. Na dúvida, consulte uma boa gramática ou um profissional para ajudá-lo.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Veja também

Todas as lombadas de Caçador estão irregulares – Por Rafael Seidel

Lombadas Todas as lombadas de Caçador estão irregulares. A informação foi repassada em sessão da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *