Notícias de Caçador e Região

Trabalhadores da Saúde, com comorbidades, devem se cadastrar para nova etapa de vacinação

Os trabalhadores da Saúde, com comorbidades, devem se cadastrar para nova etapa da vacinação contra a Covid-19. Ainda não há previsão da chegada do novo lote e, por isso, a Prefeitura de Caçador já irá organizar para que estes profissionais, de qualquer idade, estejam com seus dados registrados para a vacinação.

Os cadastros devem ser feitos nos postos de Saúde, segundo a lista de comorbidades, definida pelo Ministério da Saúde (veja abaixo).

“Teremos um profissional médico para avaliar cada uma das situações, de acordo com o enquadramento no que determina o Governo do Estado. Mas, este cadastro é importante e deve ser feito pelos trabalhadores para que, quando tivermos mais doses da vacina, já possamos iniciar a vacinação”, completou o secretário de Saúde, Roberto Marton.

Se enquadram como trabalhadores da Saúde os seguintes profissionais (incluindo trabalhadores de apoio), tanto no serviço público quanto no privado:

– Médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontologistas, fonoaudiólogos, psicólogos, serviços sociais, profissionais de educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares; recepcionistas, seguranças, pessoal da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias; cuidadores de idosos, parteiras e profissionais do sistema funerário que tenham contato com cadáveres possivelmente contaminados.

Descrição das comorbidades incluídas como prioritárias para vacinação contra a COVID-19.

– Diabetes melitus: Qualquer indivíduo com diabetes.
– Pneumopatias crônicas graves: Indivíduos com pneumopatias graves incluindo doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave (uso recorrente de corticoides sistêmicos, internação prévia por crise asmática).
– Hipertensão Arterial Resistente (HAR): HAR= Quando a pressão arterial (PA) permanece acima das metas recomendadas com o uso de três ou mais anti-hipertensivos de diferentes classes, em doses máximas preconizadas e toleradas, administra- das com frequência, dosagem apropriada e comprovada adesão ou PA controlada em uso de quatro ou mais fármacos anti-hipertensivos.
– Hipertensão arterial estágio 3: PA sistólica ≥180mmHg e/ou diastólica ≥110mmHg independente da presença de lesão em órgão-alvo (LOA) ou comorbidade.
– Hipertensão arterial estágios 1 e 2 com LOA e/ou comorbidade: PA sistólica entre 140 e 179mmHg e/ou diastólica entre 90 e 109mmHg na presença de lesão em órgão-alvo (LOA) e/ou comorbidade.
– Doenças cardiovasculares
– Insuficiência cardíaca (IC): IC com fração de ejeção reduzida, intermediária ou preservada; em estágios B, C ou D, independente de classe funcional da New York Heart Association.
– Cor-pulmonale e Hipertensão pulmonar: Cor-pulmonale crônico, hipertensão pulmonar primária ou secundária.
– Cardiopatia hipertensiva: Cardiopatia hipertensiva (hipertrofia ventricular esquerda ou dilatação, sobrecarga atrial e ventricular, disfunção diastólica e/ou sistólica, lesões em outros órgãos-alvo).
– Síndromes coronarianas: Síndromes coronarianas crônicas (Angina Pectoris estável, cardiopa- tia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio, outras).
– Valvopatias: Lesões valvares com repercussão hemodinâmica ou sintomática ou com comprometimento miocárdico (estenose ou insuficiência aórtica; estenose ou insuficiência mitral; estenose ou insuficiência pulmonar; estenose ou insuficiência tricúspide, e outras).
– Miocardiopatias e Pericardiopatias: Miocardiopatias de quaisquer etiologias ou fenótipos; pericardite crônica; cardiopatia reumática.
– Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas: Aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos.
– Arritmias cardíacas: Arritmias cardíacas com importância clínica e/ou cardiopatia asso- ciada (fibrilação e flutter atriais; e outras).
– Cardiopatias congênita no adulto: Cardiopatias congênitas com repercussão hemodinâmica, crises hipoxêmicas; insuficiência cardíaca; arritmias; comprometimento mio- cárdico.
– Próteses valvares e Dispositivos cardíacos implantados: Portadores de próteses valvares biológicas ou mecânicas; e dispositivos cardíacos implantados (marca-passos, cardiodesfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência).
– Doença cerebrovascular: Acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular.
– Doença renal crônica: Doença renal crônica estágio 3 ou mais (taxa de filtração glomerular <60ml/min/1,73 m2) e síndrome nefrótica.
– Imunossuprimidos: Indivíduos transplantados de órgão sólido ou de medula óssea; pessoas vivendo com HIV e CD4 <350 células/mm3; doenças reumáticas imunomediadas sistêmicas em atividade e em uso de dose de prednisona ou equivalente > 10 mg/dia ou recebendo pulsoterapia com corticoide e/ou ciclofosfamida; demais indivíduos em uso de imunossupressores ou com imunodeficiências primárias.
– Anemia falciforme: Anemia falciforme
– Obesidade mórbida: Índice de massa corpórea (IMC) ≥ 40
– Síndrome de down: Trissomia do cromossomo 21

Veja Também

Comentários estão fechados.