Notícias de Caçador e Região

Suspeito de matar PM narrou momentos antes de ser morto em confronto em Florianópolis por rede social

O jovem suspeito de matar o policial militar Luiz Fernando de Oliveira, de 35 anos, na sexta-feira (11), narrou na madrugada deste sábado (12) em uma rede social os seus últimos momentos de vida antes do confronto com a Polícia Militar, que resultou na sua morte, em Florianópolis.
O rapaz foi identificado pela Polícia Militar como sendo Walan David Eduarte de Melo, de 27 anos, natural de Telêmaco Borba, no Paraná. Ele estava em liberdade provisória e, segundo a PM, pertencia a uma facção criminosa ligada ao tráfico de drogas.

Após matar o policial em uma residência localizada na rua Vicentina Custódia dos Santos, conhecida como Rua dos Baianos, com um tiro de fuzil na cabeça, Walan fugiu para uma área de mata. Ele portava um fuzil AK 47, com três carregadores e munição, além de uma pistola, dois carregadores, munição e dinheiro.

Na publicação durante a madrugada, sozinho e no matagal, ele conta detalhes da perseguição. No primeiro status do WhatsApp, ele revela que está trocando tiros com os policiais, quem os chamou de “verme”. Na sequência, informa que tem 49% de bateria. A publicação seguinte ele aparece na mata, com o fuzil em mãos, com a seguinte frase: “Bota a cara seu comédia. Vão tomar chumbo. PM de m….”.

Walan volta a informar que, agora, tem 46% de bateria. Na sequência, informa que os policiais estiveram bem próximos e que ainda está vivo. Preocupado em perder a comunicação, ele volta a avisar que está com 39% de bateria e faz outro aviso. “Quando acabar, se a rua do Baiano estiver limpa, só chama Coringa resgate que vazo”, anotou em seu status.

O suspeito foi relatando a redução da bateria até chegar ao 17% e anunciar. “Amanhece tô ferrado”. Logo após: “Amanheceu. Seja o que Deus quiser. 16% de bateria”. Com 12% de bateria, Walan publica um vídeo no meio do matagal e o helicóptero da PM sobrevoando a região. E na sua última publicação, às 6h44 da manhã, ele faz um vídeo de si mesmo com o fuzil na mão e fazendo carreta.

 

Veja Também

Comentários estão fechados.