Notícias de Caçador e Região

‘Sonho foi pelo ralo’: empresa de SC é acusada de dar golpe milionário em formatura de Medicina

Formandos do curso de Medicina de uma universidade particular de Maringá (PR) denunciam que foram vítimas de um golpe aplicado por uma empresa organizadora de eventos com sede em Santa Catarina. O prejuízo, de acordo com a comissão de formatura que representa os 123 estudantes, seria de aproximadamente R$ 3 milhões. A empresa nega o golpe.

A festa de formatura estava marcada para o último sábado (21), mas não aconteceu. A empresa Brave Brazil, que fica em Florianópolis, foi contratada há cerca de 5 anos e não teria entregado o combinado.

Os formandos da UniCesumar de Maringá começaram a desconfiar da situação na quinta-feira (19), quando a empresa catarinense fez uma festa de colação de grau abaixo do esperado. Depois, estruturas e atrações previstas para o baile deste sábado não haviam sido confirmadas.

Fornecedores contratados pela empresa não teriam recebido parte do pagamento. Alguns desmontaram estruturas montadas no Parque de Exposições de Maringá, onde a festa aconteceria.

“Empresa pegou dinheiro, não pagou nenhum fornecedor e não entregou. Foram 6 anos pagando o evento para que houvesse uma formatura dos sonhos, como sempre prometeram. Eram 2 dias de festa. No primeiro não houve comida (tinha arroz, batata e frango), sem bebida gelada, sem copos, piso soltando, estrutura sem finalizar, uma tragédia, evento péssimo! E na madrugada anterior ao segundo dia, avisaram que não fariam a festa”, diz um relato postado no Reclame Aqui no sábado.

“Nosso sonho foi pelo ralo na noite de ontem! Foi o pior evento que já fui em minha vida, e era a minha formatura, faltou tudo! Comida, iluminação, climatização, conforto, decoração, literalmente tudo. A bebida quente e o bar de drinks com pessoas inexperientes que não sabiam nem como fazer os drinks. Estava quente, sem climatização. O banheiro masculino era um container sem portas que dava para todos verem você usando, o chão foi coberto por feltro e as pessoas tropeçavam o tempo todo nas emendas. Falando com os fornecedores todos mencionaram que a Brave não os pagou e por isso não conseguiam entregar um serviço de qualidade! Foram mais de 2,5 milhões de reais investidos para uma noite de horrores!”, lamentou uma formanda também no Reclame Aqui.

Festa às pressas

Uma empresa de Maringá foi contratada às pressas por uma pequena parte dos estudantes e conseguiu organizar uma festa às pressas, em cerca de 12 horas.

Em nota, a Brave Brasil afirma que os estudantes têm um saldo devedor de mais de R$ 530 mil. Os estudantes negam. A empresa diz ter sugerido um novo pagamento, de R$ 2,5 mil, de cada aluno, ou readequar a formatura com mudança no cardápio, substituição do show principal da festa e até mesmo reagendar o baile.

Alunos registraram Boletim de Ocorrência na Delegacia de Maringá neste sábado.

*Com informações da RIC Mais

 

Veja Também

Comentários estão fechados.