Notícias de Caçador e Região

Sete regiões estão em nível gravíssimo de risco para coronavírus em SC

Sete regiões estão em nível gravíssimo de risco para coronavírus em Santa Catarina, informou nesta quarta-feira, dia 15, a Secretaria de Estado da Saúde. O número é mais que o dobro da semana passada, quando três regiões estavam em alerta máximo.

Aparecem em vermelho no mapa (veja abaixo) as regiões de Xanxerê, Foz do Itajaí-Açu, Laguna, Grande Florianópolis, Nordeste (Joinville), Médio Vale do Itajaí e Carbonífera.

Em laranja, que indica nível grave, estão o Oeste, Alto Uruguai Catarinense, Meio Oeste, Serra, Extremo Sul, Alto Vale do Itajaí e Planalto Norte. O Extremo Oeste e o Vale do Rio do Peixe aparecem em amarelo, cor que indica alto risco.

A classificação leva em conta o índice de isolamento social, a ampliação dos leitos de UTI, a testagem da população e o fluxo de atendimento. O isolamento social tem a pior avaliação, com nível gravíssimo em 14 das 16 regiões avaliadas. As exceções são o Alto Vale do Rio do Peixe, em amarelo, e o Extremo Oeste, em laranja.

A testagem é igualmente preocupante. Está em nível gravíssimo em 10 das 16 regiões. Quanto à ampliação dos leitos para pacientes em estado grave, metade do estado está em nível gravíssimo de risco.

O mapa de gestão de risco é enviado a todos os prefeitos, que recebem uma lista de recomendações do governo de Santa Catarina. Em regiões em estado gravíssimo, as indicações incluem a instalação de barreiras sanitárias e a suspensão de atividades com maior risco de transmissão por 14 dias.

A média de novos casos diários no estado, que em maio era inferior a 100, passou para mais de 1,4 mil nesta semana. Apenas entre 14 de junho e 4 de julho ocorreram pelo menos 196 mortes, quase metade de todos os óbitos até então. Santa Catarina também vem registrando recordes consecutivos na ocupação de leitos de UTI.

Com informações NSC Total 

Veja Também

Comentários estão fechados.