Notícias de Caçador e Região

SC deve definir novas ações contra Covid-19 nesta terça

Em função do avanço da Covid-19 em Santa Catarina, novas ações para o enfrentamento da doença devem ser apresentadas pelo governo do Estado ainda nesta terça-feira (23).

A expectativa é de que as novas medidas, que deverão incluir restrição de horários e ações para reduzir a circulação de pessoas, sejam divulgadas após reunião marcada para esta tarde. A restrição de horários já foi adotada pelos estados do Paraná e do Rio Grande do Sul.

O encontro reúne o governador Carlos Moisés, a Fecam (Federação Catarinense de Municípios), os prefeitos das maiores cidades do Estado, o MPSC (Ministério Público de Santa Catarina) e a Alesc (Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina).

Pela manhã, Carlos Moisés se reuniu com os governadores do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, e do Paraná, Ratinho Junior.

Durante o encontro, foi definida a criação de um grupo interestadual com os secretários de Saúde e equipes dos três Estados, que registram aumento significativo de casos da doença.

Saúde descarta lockdown
Em entrevista ao programa Balanço Geral da NDTV nesta terça-feira, o secretário de Estado da Saúde de Santa Catarina, André Motta Ribeiro, descartou um novo lockdown.

“Estamos falando em medidas restritivas das atividades que têm maior impacto na transferência do vírus. Algumas regiões, inclusive, já começaram a tomar atitudes como essa, que são importantes para reduzir o contágio”, disse Ribeiro.

O secretário afirmou que novas medidas estão sendo discutidas desde a semana passada. Segundo ele, o objetivo do debate é entender quais medidas são mais adequadas para o momento e quais serão os impactos.

André Motta lembra que os resultados das novas restrições requerem um tempo mínimo de sete a 14 dias. “A ideia é que a redução da circulação de pessoas diminua a velocidade de transmissão do vírus”, diz o secretário.

O chefe da pasta destaca que, paralelamente às discussões de novas regras, as pessoas devem ter ciência da gravidade da situação e fazer a sua parte.

“Essa é uma doença da sociedade. Pessoas estão contaminando pessoas. Precisamos seguir as regras que estão postas desde o início do enfrentamento da pandemia: uso da máscara, manter distanciamento, uso do álcool em gel e, principalmente, evitar aglomerações sem regramentos. Isso é fundamental neste momento”, afirmou o secretário.

Com informações ND Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.