Notícias de Caçador e Região

SC amanhece com apenas duas vagas de leitos de UTI Covid adulto no SUS

O colapso na saúde devido ao avanço da Covid-19 em Santa Catarina continua a refletir nos números de internações dos hospitais.

Segundo a última atualização da Secretaria de Estado da Saúde, há apenas duas vagas de UTI Covid adulto em todo o estado na rede pública. A atualização foi feita por volta das 22h desta terça-feira (2).
As vagas são nos hospitais Sagrada Família, em São Bento do Sul, e no Ruth Cardoso, em Balneário Camboriú. Cada unidade possui apenas um leito disponível.

Ao todo, o Estado conta com 805 leitos de UTI destinados para tratamento de adultos contaminados com a doença. Desses, 803 estão ocupados, sendo 774 por pacientes confirmados com o vírus.

A taxa é de 99,75% e, segundo a própria SES, este é o pior cenário em Santa Catarina desde o início da pandemia. Cinco regiões, inclusive, aparecem com ocupação de 100%.

E a situação pode ainda ser pior. O próprio governo do Estado incluiu, na tabela que indica a lotação dos hospitais, uma nota que diz que os indicadores são “virtualmente inferiores” à taxa de ocupação real, considerando os horários de atualização e a alta oscilação e demanda de pacientes graves nas UTIs dos hospitais.

Além disso, aproximadamente 261 pessoas aguardam vagas nos hospitais. Isto, inclusive, fez com que o Estado iniciasse nesta quarta-feira (3) a transferência de pacientes para o Espírito Santo, a fim de garantir a internação e o tratamento.

O ND+ entrou em contato com a SES para saber as medidas que estão sendo tomadas para regularizar a situação, mas não obteve retorno até a publicação.

Estado tenta abrir novos leitos

O Estado entra em corrida para abrir novos leitos enquanto a fila para internações aumenta. O procurador-geral do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), Fernando Comin, lamentou a situação crítica e disse que é hora de “unir esforços”, mas não poupou palavras ao citar o agravo da situação.

“Santa Catarina tem 261 pessoas na fila para de UTIs e muitas morrerão na fila de espera. Elas já estão morrendo. Na quarta (24) da semana passada, eram 30 pessoas na fila. Ontem [segunda, dia 1º], 261. O MP é o porta voz dessas famílias que têm parentes no ‘corredor da morte’”, disse.

Em meio ao atual colapso, a Secretaria da Saúde vem cobrando a reativação de UTIs dos hospitais privados e filantrópicos que foram fechados em meados de outubro do ano passado por critério de descredenciamento no Ministério da Saúde. A informação foi dada pela Coluna do Moacir Pereira.

São cerca de 118 UTIs desativadas ao longo do Estado, que tem 1.572 ativas atualmente, entre geral e Covid, e adulto e infantil. A ativação de leitos, contudo, demanda infraestrutura e mão de obra, o que pode custar tempo e dinheiro da gestão estadual, duas coisas que não sobram durante a crise sanitária da Covid-19.

A contratação de profissionais, por exemplo, é um grande percalço, já que para cada leito são, em média, oito pessoas em serviço, enfrentando jornadas cada vez mais exaustivas com o colapso do sistema público.

Parceria com unidades privadas

Um dos passos para tentar amenizar a situação foi dado ainda nesta terça (2), com a assinatura da Portaria 373, que dispõe sobre “procedimento para autorização de leitos de UTI adulto e pediátrico Covid-19 em caráter excepcional e temporário”.

Assim, Santa Catarina recebeu credenciamento de diversos leitos:

10 leitos para Balneário Camboriú;
16 para Blumenau;
35 para Chapecó;
5 Concordia;
15 em Criciúma;
6 em Curitibanos;
10 em Florianópolis;
10 em Içara;
15 em Itajaí;
10 em Jaraguá do Sul;
6 em Joaçaba;
8 em Joinville;
17 em Lages;
10 em Laguna;
14 em Mafra;
5 em Nova Trento;
10 em Tubarão;
10 em Xanxerê.

Com informações ND Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.