Retrospectiva do tempo de 2014 em Santa Catarina

Notícia Hoje

Notícia Hoje

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

O tempo em Santa Catarina em 2014 foi um tanto quanto bipolar, no que se diz a mudar de minuto para minuto. Confira então uma retrospectiva do clima no estado.

O ano de 2014 foi marcado por chuva próxima e acima da média climatológica em SC em boa parte dos meses, com curtos períodos sem chuva. O mês de junho foi o mais chuvoso, com acumulado acima de 500 mm no Oeste, Vale do Itajaí e Planalto Norte, o que representa o dobro e o triplo do esperado para o mês. Essa chuva provocou duas enchentes em menos de 20 dias, uma entre os 5 e 9 de junho no Vale do Itajaí, e a outra na última semana do mês no Vale do Rio do Peixe, a pior deste de 1983, atingindo em menores proporções o Planalto Sul e novamente o Vale do Itajaí.

Outro mês que se destacou em termos de chuva foi setembro, sobretudo no Oeste, com quebra de recorde mensal em São Miguel do Oeste com 470,6 mm, o anterior era 414,1 mm em setembro de 2009. Ponte Serrada, localizada no Meio Oeste, registrou somente no dia 29 de setembro 100,2mm, sendo o recorde de precipitação para este período da estação.

Os meses mais secos em boa parte do Estado foram fevereiro e outubro, exceto no Planalto Sul e Litoral Sul, onde a chuva superou a média climatológica desses meses.

A primavera começou com temporais frequentes, acompanhados de ventania e granizo, especialmente no mês de setembro e primeira quinzena de outubro. O caso mais significativo de granizo ocorreu no dia 13 e atingiu em grande concentração a cidade de Lages e os municípios vizinhos, devido a uma tempestade convectiva severa.

Em relação à temperatura pode-se dizer que o ano começou quente, com influência de uma intensa onda de calor que durou quase 20 dias entre os meses de janeiro e fevereiro, histórica em SC. O padrão mais quente seguiu nos meses de outono, inverno e especialmente na primavera. No inverno foram poucos dias de frios, as massas de ar frio de origem polar que atingiram o Sul do Brasil, rapidamente se deslocaram para o oceano, deixando 1 a 3 dias em média com temperaturas mais baixas, intercalando com períodos mais aquecidos. A neve neste ano foi pouca, apenas um episódio no dia 25 de julho nas cidades de Urupema e Morro da Igreja, na serra catarinense. A temperatura mais baixa do Estado foi registrada em Urupema, -8,3ºC no dia 13 agosto.

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp