Reta final do verão terá El Niño ‘feroz’ e retorno do fenômeno La Niña

Notícia Hoje

Notícia Hoje

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

El Niño

Na reta final do mês de fevereiro, os dados mostram que o tempo ainda deverá sofrer influências do fenômeno El Niño. O aquecimento persistente das águas do Oceano Pacífico ainda se mantém moderado a forte pelo conjunto de dados analisados pela MetSul Meteorologia.

portal meteorológico destaca ainda que o maior aquecimento ocorre no Pacífico Equatorial Centro-Leste.

Com a intensidade do El Niño caracterizada como moderada a forte, o último boletim semanal da NOAA (Agência Climática dos Estados Unidos) indicaram que a anomalia na temperatura da superfície do mar era de 1,5ºC na denominada região Niño 3.4, no Pacífico Equatorial Centro-Leste.

Esta região é a utilizada oficialmente na Meteorologia como referência para definir se há o fenômeno El Niño e ainda avaliar qual a sua intensidade, aponta a MetSul Meteorologia.

O valor de monitoramento do El Niño está sendo considerado de moderado a forte

O valor positivo na região principal de monitoramento de 1,5ºC está na faixa de transição de El Niño moderado, que varia entre 1,0ºC a 1,4ºC, a forte, oscilando de 1,5ºC a 1,9ºC.

A maior anomalia observada nesta região se deu em novembro com 2,1ºC no pico do atual evento de El Niño de 2023-2024. Por outro lado, a denominada região Niño 1+2, localizada perto dos litorais do Peru e do Equador, está com anomalia de +1,1ºC, em evento de El Niño costeiro que já dura 12 meses.

O maior valor nesta região se deu no último mês de julho com anomalia de temperatura da superfície do mar de 3,5ºC.

O episódio atual do fenômeno chegaria ao fim possivelmente em abril ou mais tardar em maio, conforme a MetSul Meteorologia, quando o Pacífico ingressaria numa fase de neutralidade. No inverno e no segundo semestre, cresce a possibilidade de retorno do fenômeno La Niña.

Projeções para os próximos meses

Segundo a última projeção da Universidade de Columbia, dos Estados Unidos, as probabilidades indicam a persistência do fenômeno nestes últimos dias do verão, uma transição para fase de neutralidade ao longo do outono e o retorno do fenômeno La Niña no final do outono ou durante o inverno.

As projeções de probabilidade da Columbia apontam no trimestre de março a maio 83% de El Niño, 17% de neutralidade e 0% de La Niña.

Para o trimestre abril a junho, 27% de probabilidade de El Niño, 72% de neutralidade e 1% de La Niña. Já no trimestre de maio a julho, 9% de El Niño, 71% de neutro e 20% de La Niña.

Com informações ND Mais 

LEIA TAMBÉM: Jair Bolsonaro, presidente do PL e mais 3 ex-ministros prestam depoimento à Polícia Federal

EXPOCDR

 

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp