Notícias de Caçador e Região

Professora de SC cria polêmica ao dizer em aula que “Bolsonaro armou para matar Marielle”

A fala de uma professora de redação durante uma aula online está causando polêmica em Rio do Sul, no Alto Vale do Itajaí, em Santa Catarina. A professora explicava aos alunos o que é uma “violência política”, quando usou como exemplo que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria “armado para matar Marielle”.

A citação ao assassinato da então vereadora do Rio de Janeiro ocorreu durante uma explicação sobre violência política.

No trecho da aula que viralizou na internet, a professora começa falando sobre o atentado a faca contra o presidente – então, candidato – Jair Bolsonaro, em setembro de 2018, aparentemente respondendo à pergunta de um aluno.

“A facada que o Bolsonaro tomou foi uma violência política? Sim. Ô, [nome de aluno], na verdade o que aconteceu, a violência política, é praticada por políticos. O Bolsonaro levou uma facada? Levou. Foi uma violência? Foi, mas não foi praticada por políticos, foi um popular que fez, foi um civil que fez isso. Agora, o que o Bolsonaro armou, né, para matar Marielle Franco, ele sendo um político, matando uma outra política, isso sim é uma violência política. Entendeu o esquema?”, diz a professora no vídeo.

“A facada que o Bolsonaro tomou foi uma violência política? Sim. Ô, [nome de aluno], na verdade o que aconteceu, a violência política, é praticada por políticos. O Bolsonaro levou uma facada? Levou. Foi uma violência? Foi, mas não foi praticada por políticos, foi um popular que fez, foi um civil que fez isso. Agora, o que o Bolsonaro armou, né, para matar Marielle Franco, ele sendo um político, matando uma outra política, isso sim é uma violência política. Entendeu o esquema?”, diz a professora no vídeo.

Fala gerou debate

A partir do comentário, alguns alunos fazem mais questionamentos e a professora segue a explicação, ainda utilizando os dois casos como exemplos.

A fala da professora levantou polêmicas e dividiu a comunidade nas redes sociais: há quem seja contra o comentário, e há quem defenda o trabalho dela, com elogios à atuação na sala de aula.

Contrapontos
Escola

A escola onde a professora trabalha se manifestou por meio de uma nota de esclarecimento. A unidade de ensino informou que quando soube dos fatos, iniciou procedimentos internos que estão em andamento e visam apurar a conduta da educadora e eventuais medidas necessárias.

A nota destaca ainda que a escola nunca teve receio de mostrar o que acontece nas salas de aula e enfatiza que “a liberdade de cátedra em momento algum pode ser confundida com posicionamentos pessoais”. Confira a nota completa:

Professora

A professora também se manifestou por meio de uma carta de retratação. Ela afirma que lamenta o trecho da aula, que foi retirado de contexto. Ela reconhece que a fala faz “grave acusação e imputa crime, sem comprovação, do caso Marielle ao Bolsonaro”.

Ela também pede desculpas pelo que chamou de “errada colocação verbal” e “por não ter deixado de forma clara que era uma hipótese”. Leia também a carta completa abaixo:

Veja Também

Comentários estão fechados.