Notícias de Caçador e Região

Prefeito de Itajaí lamenta ‘escárnio e zombaria’ após sugerir tratamento de Covid-19 com ozônio por via retal

O prefeito de Itajaí (SC), Volnei Morastoni (MDB), voltou a defender o tratamento de ozonioterapia contra a Covid-19 em um novo vídeo publicado na noite de terça-feira (4), desta vez em sua rede social pessoal.

Ele lamentou que a aplicação retal do ozônio tenha virado “escárnio e zombaria” após anunciar que poderia adotar a técnica em pacientes com diagnóstico de Covid-19 na cidade, durante uma transmissão ao vivo em uma rede social da prefeitura municipal.

“Infelizmente, todo esse esforço em dar mais uma opção de tratamento para a população vem sendo mostrado com escárnio e zombaria. Preocupado apenas em salvar vidas, em proteger a saúde das pessoas, não imaginei que oferecer esse novo tratamento para combater o coronavírus fosse criar uma repercussão tão grande, tantas piadas, memes e manchetes sensacionalistas”, afirmou Morastoni, que é médico pediatra e homeopata, no vídeo.

“Como até o momento não há terapia definitiva para a pandemia da Covid-19, todas as iniciativas baseadas em estudos científicos são importantes para auxiliar na busca por tratamento. (…) Quem já passou por isso sabe que diante da doença e da morte a gente recorre a todas as alternativas de prevenção e tratamento para curar quem se ama e eu amo em Itajaí. Por isso, eu vou continuar pesquisando e oferecendo novos tratamentos para a população. (…) Para mim, o mais importante é salvar vidas e vou fazer o que for preciso para isso com responsabilidade e respaldo da comunidade científica”, completou o prefeito.

O tratamento com ozônio por via retal, como sugerido por Morastoni, entretanto, não tem eficácia comprovada contra o coronavírus e foi rechaçado por especialistas consultados pelo G1. O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) encaminhou uma recomendação para que Morastoni não use a ozonioterapia no tratamento do coronavírus.

“O efeito da ozonioterapia em humanos infectados por coronavírus (Sars-Cov-2) é desconhecido e não deve ser recomendado como prática clínica ou fora do contexto de estudos clínicos desconhecido e não deve ser recomendado como prática clínica ou fora do contexto de estudos clínicos”, destacou o promotor Maury Roberto Viviani na recomendação a partir de uma nota técnica do Ministério da Saúde.

Anúncio da medida

Na segunda-feira (3), Morastoni disse que existe a possibilidade de Itajaí adotar a aplicação de ozônio por via retal como medida de tratamento contra a Covid-19 em pacientes confirmados e com sintomas.

“É uma aplicação simples, rápida, de dois ou três minutinhos por dia, provavelmente vai ser uma aplicação via retal. É uma aplicação tranquilíssima, rapidíssima de dois minutos com cateter fino, e isso dá uma resultado excelente”, disse Morastoni, na segunda (3).

As declarações do prefeito foram feitas durante uma transmissão ao vivo realizada em uma rede social oficial da administração municipal.

Ao G1, a infectologista Sabrina Sabino disse que não existe nada no âmbito científico que aponte para o uso da ozonioterapia no tratamento da Covid-19.

“Infelizmente não há evidências que o ozônio vá tratar ou prevenir a Covid-19”, afirmou Sabino, que é professora de Furb (Universidade Regional de Blumenau) e membro da Sociedade Brasileira de Infectologia.

O G1 também consultou o médico infectologista e professor da Faculdade de Medicina da Unesp, Alexandre Naime Barbosa sobre a técnica defendida pelo prefeito.

“Todos esses tratamentos alternativos são uma cortina de fumaça para que se tire a atenção do que realmente importa que é o controle com as medidas que tem eficácia reconhecida na ciência, que é o isolamento social na medida do possível, uso de máscara, distanciamento social, lavagem das mãos e testagem em massa com o melhor teste que é o PCR”, disse Barbosa.

Com informações G1

Veja Também

Comentários estão fechados.