Prefeito de Chapecó é investigado por pedir que empresários orientem voto em Bolsonaro

Notícia Hoje

Notícia Hoje

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

O Ministério Público do Trabalho (MPT) de Santa Catarina instaurou um procedimento investigatório contra o prefeito de Chapecó, João Rodrigues, pela acusação de dizer a líderes empresariais da cidade que devem orientar colaboradores a votar no presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL).

“Reúnam os seus colaboradores e orientem eles. O Brasil não pode virar uma Venezuela. E só não vai virar se Bolsonaro continuar presidente do Brasil”, disse o prefeito em um vídeo visto pela agencia de notícias Reuters, dirigindo-se à comunidade empresarial ligada à indústria frigorífica.

Segundo informou o UOL, o Ministério Público do Trabalho (MPT) de Santa Catarina instaurou um procedimento investigatório para apurar o caso.

No final do vídeo de 55 segundos, João Rodrigues diz aos líderes empresariais para colocar “mãos à obra”.

O MPT considera crimes eleitorais a concessão ou promessa de benefício ou vantagem em troca do voto, bem como o uso de violência ou ameaça com o intuito de coagir alguém a votar ou não em determinado candidato.

Quase 850 denúncias desse tipo foram registradas neste ano. Nas eleições de 2018 foram 212, de acordo com dados compilados por procuradores do MPT em Brasília.

O que diz o prefeito

Em nota, a Procuradoria-Geral de Chapecó disse à Reuters que desconhece o procedimento e irá se manifestar após ter ciência oficial do conteúdo.

João Rodrigue divulgou um vídeo nesta sexta-feira, dia 21, para comentar o caso. Na publicação, o prefeito reforça que os funcionários devem “orientar” os funcionários sobre como votar.

“Não estou falando de você ameaçar o seu funcionário, agora orientar para o futuro do seu negócio, é a sua obrigação, é a liberdade que nós temos, e essa ninguém nos cassa”, afirma.

 

Com informações Oeste Mais

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp