Notícias de Caçador e Região

Pastor preso por estupro prometia tirar ‘magia negra’ com óleo em partes íntimas de mulheres

Um pastor de Cuiabá, no Mato Grosso, foi preso nesta quarta-feira (18), suspeito de estuprar, pelo menos, quatro mulheres. Duas delas adolescentes. Os casos foram registrados na cidade de Confresa, interior do estado.

Como desculpa para cometer os abusos, o líder religioso, de 42 anos, utilizava óleo ungido e prometia tirar a ‘magia negra’ das partes íntimas das vítimas. Quatro vítimas denunciaram o pastor, que foi preso pela Polícia Civil do Mato Grosso nesta quarta.

Conforme informações da Polícia Civil, o primeiro caso foi denunciado em 2021. O pastor morava em Cuiabá, mas se deslocava até a cidade de Confresa para cometer os crimes.

Abusos e estupros

Uma das vítimas, uma adolescente que não teve a idade revelada, relatou que estava em uma conferência religiosa quando o suspeito a chamou para um quarto isolado, onde começou a acariciar as partes íntimas da garota com desculpas de estar realizando procedimentos religiosos.

Em outro momento o homem realizou uma chamada de vídeo com a adolescente e chegou a mostrar o próprio órgão genital.

Outra adolescente, esta com 17 anos, contou à polícia que em fevereiro deste ano procurou o líder religioso a fim de fazer uma oração. O homem a levou para o banheiro da igreja e fez com que a adolescente passasse um óleo na barriga.

Na sequência, o pastor passou óleo pelo restante do corpo da garota, que sentiu tonturas, momento que o homem tirou o vestido dela e a estuprou.

Magia negra e óleo ungido

A investigação policial apontou ainda que o suspeito sempre utilizava o mesmo método para cometer os crimes. O homem realizava a abordagem das vítimas e, durante a oração, ele afirmava que a pessoa precisava passar óleo ungido no corpo para remover uma magia negra. Ele então levava as vítimas para outro cômodo e as abusava.

Com base nas investigações o pastor foi preso preventivamente e responderá pelo crime de estupro de vulnerável.

Com informações ND Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.