Notícias de Caçador e Região

Pai de bebê encontrado morto asfixiava a criança para fazê-la dormir, diz polícia

A morte do bebê de um ano na tarde desta segunda-feira (09) em uma casa no bairro Valparaíso, em Blumenau, no Vale do Itajaí, revelou detalhes surpreendentes e de descaso da família da criança.

Segundo a Polícia Militar, o pai da menina de apenas um ano de idade, asfixiava a criança para fazê-la dormir. Em entrevista ao programa Tribuna do Povo da NDTV Record TV Blumenau, Luís Eduardo Dias Miguel, Tenente da Polícia Militar, disse que ao chegar na casa da família, a PM encontrou um local bastante insalubre e um ambiente familiar muito conturbado.

“Conseguimos algumas informações com os pais do bebê, que davam a entender que o pai da criança, sufocava a menina quando ela chorava, pra que ela dormisse. Em razão de todo o contexto que foi confirmado, nós realizamos a prisão e conduzimos o casal para a delegacia”, informou o Tenente.

De acordo com o Tenete, todas as circunstâncias, inclusive as câmeras policiais, que gravaram o suspeito (pai do bebê) relatando que já teria acontecido que a criança teria apagado quando ele estava sufocando, estão sendo analisadas.

A Polícia Civil informou que o casal foi solto, pois não havia indícios de crime para configurar a prisão. Agora, as investigações seguem em sigilo. O caso foi encaminhado para a Delegacia de Polícia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI). A causa da morte é desconhecida e laudos já foram requisitados à Polícia Científica.

Acompanhamento familiar

Em nota, a Secretaria de Desenvolvimento Social (Semudes) disse que recebeu uma requisição do Conselho Tutelar em dezembro de 2022, para acompanhamento da família da criança na proteção básica.

Segundo a secretaria, a primeira tentativa de visita foi desmarcada pela família, posteriormente o atendimento aconteceu no dia 27 de dezembro de 2022. Assim, iniciaram os primeiros acompanhamentos.

Em 2021 a família já havia sido atendida pelo Centro Especializado de Assistência Social (Creas). Foram feitas as movimentações para que não houvesse mais a violação de direitos e desde então não haviam sido mais apresentadas demandas.

Por fim, a Semudes informou que o acolhimento das crianças em abrigo é a última alternativa, antes deve ser realizado o acompanhamento e investimento na família para superação das situações.

Relembre o caso

A Polícia Militar de Blumenau foi acionada para atender uma ocorrência de engasgamento. O fato aconteceu por volta das 16h desta segunda-feira (9), no bairro Valparaíso.

No local, os socorristas fizeram manobras de reanimação, porém a criança não respondia. A equipe médica encontrou a criança fria, sem sinais vitais sobre uma cama e com manchas roxas pelo corpo.

Os profissionais de saúde encontraram indícios de suspeição da mesma ter sido vítima de estupro, motivo pelo qual acionaram a presença da Polícia Militar.

Testemunhas foram ouvidas e, diante de informações coletadas, o pai e a mãe do bebê foram levados até a delegacia para prestar depoimento. Na casa, havia outras duas menores que ficaram aos cuidados do Conselho Tutelar.

A Polícia Civil, o IGP e o IML também foram acionados para remover o corpo e periciar a área. A identidade dos envolvidos não será divulgada.

Com informações ND Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.