Notícias de Caçador e Região

“Não guardo ressentimentos”: Carlos Moisés se pronuncia após absolvição do 2º impeachment

O governador Carlos Moisés se manifestou no início da tarde desta sexta-feira (7) após ser absolvido no segundo processo de impeachment. Foram seis votos pela condenação, contra quatro votos pela absolvição no caso da compra fraudulenta de 200 respiradores.

“A decisão do Tribunal Especial Misto pela absolvição repara um erro e põe um ponto final às tentativas de atribuir falsamente a mim a prática de atos ilegais. Não guardo ressentimentos. Quando decidi assumir a missão, tinha ciência do que enfrentaria”, escreveu nas redes sociais.

“Congratulo os deputados Fabiano da Luz, José Milton Scheffer, Marcos Vieira e Valdir Cobalchini pela capacidade de julgar com sabedoria”, continuou Moisés. Para ser afastado, eram necessário pelo menos sete votos – 2/3 do Tribunal de Julgamento.

O governador retoma o cargo imediatamente, após formalização do processo. “Restabelecida a verdade, o foco agora deve estar no que verdadeiramente importa, que é trabalhar pelo bem de Santa Catarina e sua gente, a quem todas as forças políticas têm o dever de servir” concluiu.

Com o júri, Moisés passa a ser considerado inocente no âmbito político de crime de responsabilidade na compra fraudulenta do Governo Estadual, realizada em abril de 2020. Ele também foi inocentado no âmbito jurídico, pela Polícia Federal, Ministério Público e STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Como foi a sessão

O julgamento durou cinco horas. Manifestaram-se os advogados de defesa e acusação. Em seguida foi a vez dos dez julgadores. Eles se manifestaram e responderam a pergunta “Cometeu Carlos Moisés os crimes que lhe são imputados e deve ser condenado à perda do cargo?”.

Favoráveis ao afastamento, desembargadores e o deputado Laércio Schuster (PSB) se embasaram em lives e autos da Operação Oxigênio que, na perspectiva deles, mostram que Moisés tinha consciência da compra. Os deputados que votaram pela absolvição mantiveram o entendimento das investigações.

O voto de cada julgador

Desembargadora Sônia Schmitz – Sim
Deputado Marcos Vieira (PSDB) – Não
Desembargador Roberto Pacheco – Sim
Deputado José Milton Scheffer (PP) – Não
Desembargador Luiz Zanelato – Sim
Deputado Valdir Cobalchini (MDB) – Não
Desembargadora Rosane Portela Wolff (relatora) – Sim
Deputado Fabiano da Luz (PT) – Não
Desembargador Luiz Fornerolli – Sim
Deputado Laércio Schuster (PSB) – Sim

Com informações ND Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.