Notícias de Caçador e Região

Mulher que matou o marido e guardou corpo no freezer se entrega na delegacia de Joaçaba

Claudia Fernandes Tavares Hoeckler, de 40 anos, que confessou ter matado o marido Valdemir Hoeckler, de 52 anos, se entregou à polícia no começo da tarde desta segunda-feira, 21, em Joaçaba, no Oeste catarinense.

De acordo com o portal Éder Luiz, a professora chegou de carro, acompanhada dos advogados. O paradeiro da mulher até então era desconhecido.

Na sequência, Cláudia foi levada ao segundo andar do prédio e entrou na sala da Divisão de Investigações Criminais (DIC) onde prestará depoimento. Depois, a autora será levada ao presídio.

Defesa

Pouco antes da chegada de Cláudia, o advogado de defesa, Marco Antônio Vasconcelos Alencar Júnior, falou sobre os motivos do crime e como teria acontecido.

“Ela assume que matou porque chegou ao limite. Uma mulher maltratada, subjugada, que foi violentada física e psicologicamente durante 22 anos e por vezes até sexualmente. E neste instante, para sobreviver, ela acabou chegando ao ato de morte do marido”, destacou Júnior.

Sobre os métodos que foram usados por ela para cometer o crime o advogado confirmou que o homem foi dopado e depois asfixiado.

“Temos que pensar que a mulher, quando mata, ela faz de uma forma diferente do homem, que tem uma força e consegue fazer algo muito mais sutil, ela precisou de medicamento e asfixia”, relatou o advogado.

Questionado sobre o motivo da vítima ter sido colocada no freezer, o advogado disse que não entraria no contexto, mas que foi essa a ordem do crime.

Crime

Valdemir Hoeckler, foi encontrado morto dentro de um freezer no sábado, dia 19, na linha São Roque, em Lacerdópolis, no Oeste de Santa Catarina. Ele era motorista e tinha uma filha de 22 anos junto com Claudia.

Conforme o delegado Gilmar Bonamigo, responsável pelo caso, na última sexta-feira, dia 18, a esposa foi ouvida na delegacia ainda na condição de informante, mas as suspeitas começaram após ela apresentar lesões pelo corpo, dando sinais de luta corporal.

No sábado, a Polícia Civil havia marcado uma perícia na residência, mas a mulher desapareceu e trancou a casa. As autoridades entraram na moradia e, após buscas, localizaram o corpo dentro do freezer.

“O corpo se encontra inteiro, estava encolhido para caber dentro do freezer, mas sem mutilação. Estava com uma sacola plástica na cabeça, o que indica que ele foi morto asfixiado”, disse Bonamigo em entrevista à Rádio Capinzal.

O caso segue sob investigação da Polícia Civil, que deve indiciar a mulher por homicídio e ocultação de cadáver.

Com informações Oeste Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.