Mulher esfaqueada ao defender filha de estupro em SC morre no hospital: ‘Nossa alma chora’

Notícia Hoje

Notícia Hoje

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

Mulher

Após 33 dias internada, morreu nesta quarta-feira (8) a mulher que tentou impedir o marido de estuprar a filha em Bombinhas, no Litoral Norte de Santa Catarina. O caso chocante aconteceu no início do mês de fevereiro. Ela flagrou a filha, de 13 anos, sendo estuprada pelo padrasto, e ao tentar impedir o ato, foi esfaqueada.

A morte foi confirmada por uma irmã da vítima nas redes sociais. “Infelizmente, nossa alma chora, nosso coração está dilacerado pela dor da sua partida, minha irmã. Mas a justiça divina não erra. Seus sonhos foram interrompidos, você lutou 33 dias na UTI e resolveu descansar”, afirmou a publicação.

No dia em que o crime ocorreu, a Polícia Militar encontrou a mulher caída no chão com diversas perfurações pelo corpo. Mesmo ferida gravemente, a mulher relatou que acordou com os gritos de socorro da filha e flagrou o marido, de 41 anos, abusando sexualmente da menina no quarto ao lado.

Na tentativa de impedir o ato, a mulher entrou em luta corporal com o autor e foi esfaqueada ao menos 10 vezes. Na sequência, o homem fugiu pelo portão da frente.

A adolescente relatou à PM que o padrasto entrou no quarto com uma faca e a ameaçou dizendo para ela não gritar. O homem ainda utilizou um fio de luz para segurar o pescoço da vítima enquanto abusava sexualmente dela.

A garota, no entanto, conseguiu gritar por socorro. Outras duas filhas do casal, de seis e dez anos, estavam no local.

Suspeito se entregou

O padrasto suspeito se entregou à polícia no dia seguinte ao ocorrido, após as buscas não conseguiram localizar o homem.

Ao ND+, o delegado Ricardo Melo, responsável pelas investigações, explicou que junto ao Conselho Tutelar a Polícia Civil fez a escuta especializada da vítima, que detalhou como foi esse último episódio de estupro.

Aos profissionais, a menina contou que foi ameaçada com uma faca pelo padrasto, que a estuprou – o que já fazia algum tempo, mas ela não soube precisar o período exato.

Ainda de acordo com o delegado, após “finalizar o ato” o homem passou a culpar a menina “por ter acabado com a vida dele, ‘olha o que você fez com a minha vida’”, dizia à vítima.

“Aí ele pega um fio, que tem dois canos nas extremidades, e passa a atacar a menina, como se quisesse estrangulá-la, nesse momento ela se defende e nisso ela pede ajuda, a mãe acorda e vai ver o que está acontecendo e aí ele pega a faca usada para ameaçar a menina e ataca a mãe”, detalha o delegado.

Nesta quarta-feira, o delegado confirmou que o suspeito segue preso. Ele agora responderá pelo feminicídio consumado contra a companheira, além do estupro de vulnerável e tentativa de feminicídio contra a enteada.

Com informações ND Mais 

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp