Notícias de Caçador e Região

Mulher, amante e filho são presos suspeitos de tentar matar homem para ficar com imóvel em SC

Três pessoas foram presas em Barra Velha, no Norte catarinense, na noite de quinta-feira (5) suspeitas de tentar assassinar um homem em Balneário Camboriú, no Litoral Norte. De acordo com a Polícia Civil, os detidos são mulher da vítima, o amante e um filho dela. A motivação seria a posse de um imóvel.

Segundo a Polícia Militar, a tentativa de homicídio ocorreu no dia 14 de setembro no bairro Barra. O homem de 51 anos estava em casa, com o enteado, de 16 anos, quando três suspeitos entraram na residência. A mulher é suspeita de ser a mandante do crime.

O quarto suspeito de envolvimento, um jovem de 18 anos, foi preso no dia seguinte, conforme a Polícia Civil.

O homem foi atingido com golpes de machados e pedaços de pau. Enquanto o amante e o filho da suspeita, ambos de 21 anos, agrediam o marido, um jovem foi até o quarto do outro filho da mulher para espancá-lo. O garoto conseguiu se desvencilhar do suspeito, pulou a janela e procurou a ajuda da Polícia Militar.

O marido acabou perdendo a visão de um dos olhos e teve traumatismo craniano. Até esta sexta (6), ele permanece internado no hospital, mas não corre risco de morte, de acordo com a Polícia Civil.

Segundo a Polícia Civil, a suspeita é que o crime tenha ocorrido por divisão de bens. “O casal estava separado e a suspeita é que ela queria o imóvel. Eles levaram o veículo da vítima no dia do crime”, afirma o delegado Osnei de Oliveira, da Delegacia de Investigações Criminais (DIC) de Balneário Camboriú.

Ainda segundo a Polícia Civil, a mulher de 36 anos mantinha um caso extraconjugal com um dos suspeitos. O filho adolescente que permaneceu na casa do padrasto, também agredido pelo grupo, não teria aceitado a separação do casal. Ele foi a principal testemunha do caso.

Há duas semanas, já havia mandado de prisão preventiva expedido para o grupo, mas eles alternavam endereços entre Joinville e Camboriú. Na quinta, a prisão foi efetuada com o auxílio da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Até a manhã desta sexta, os três suspeitos ainda não tinham prestado depoimento.

Com informações do G1

Veja Também

Comentários estão fechados.