Notícias de Caçador e Região

MP junto ao TCU pede bloqueio de contas de Bolsonaro, Ibaneis e Torres

O subprocurador-geral do Ministério Público da União junto ao TCU, Lucas Furtado, pediu que seja decretada a indisponibilidade de bens do ex-presidente da República Jair Messias Bolsonaro (PL), do governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) e do ex-secretário de Segurança Pública do DF Anderson Torres.

O pedido de Furtado ao presidente do Tribunal de Contas da União, Bruno Dantas, ocorre em razão da Tomada de Contas Especial (TCE) aberta para apurar atos de vandalismo ocorridos no Distrito Federal no dia 8 de janeiro de 2023, que provocaram inúmeros prejuízos ao erário federal.

No domingo, Dantas solicitou a instauração da TCE para identificar os responsáveis pelos prejuízos e eventuais omissões no ataque a prédios públicos durante os atos na Praça dos Três Poderes.

Furtado pede ainda que sejam indisponibilizados os bens de outros “responsáveis, sobretudo de financiadores de mencionados atos ilegais“, solicita o subprocurador no pedido.

Afastamento por 90 dias

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou o afastamento de Ibaneis Rocha do cargo de governador pelo período de 90 dias, em decorrência dos atos terroristas ocorridos em Brasília, no último dia 8 de janeiro. Quem assumiu o Governo do DF foi a vice-governadora, Celina Leão (PP).

Bolsonaristas radicais invadiram e depredaram o Congresso, STF e Palácio do Planalto, na tarde de domingo. Os terroristas não foram contidos por policiais militares que estavam na área.

O então secretário de Segurança Pública, Anderson Torres, foi demitido do cargo durante a invasão. Ele está nos Estados Unidos, onde foi passar férias com a família. Antes de assumir o cargo de secretário do DF, Anderson atuou como ministro da Justiça e Segurança Pública de Jair Bolsonaro.

Com informações Metrópoles 

Veja Também

Comentários estão fechados.