Notícias de Caçador e Região

Morre homem baleado na cabeça pelo próprio filho em SC

Morreu nesta terça-feira (22) o homem de 54 anos que foi baleado na cabeça pelo próprio filho em Brusque, no Vale do Itajaí, após ficar internado por pouco mais de um mês.

O crime ocorreu no dia 20 de maio. Na época, a polícia apurou que o garoto de 14 anos teria atirado na cabeça do pai após uma discussão entre os dois.

O garoto, que é o principal e único suspeito pelo crime, está recolhido em uma unidade prisional para adolescentes infratores desde o dia 26 de maio, quando se apresentou à polícia. Em depoimento, o menino teria confessado que atirou contra o pai porque ele era muito violento e agressivo.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Alex Bonfim Reis, a morte do pai não deve mudar muito a situação do jovem, já que a pena para crimes cometidos por adolescentes não ultrapassa três anos de prisão. O que deve mudar é a tipificação do crime, de “tentativa” para homicídio “consumado”, mas essa alteração só deve ser definida pelo juiz.

Relembre o caso

No dia 20 de maio a polícia foi acionada para atender a uma tentativa de homicídio no bairro Bateas, em Brusque. No local, os policiais encontraram a vítima, de 54 anos, com um ferimento causado por um tiro na cabeça.

O filho da vítima de 14 anos foi apontado como principal suspeito pelo crime e fugiu do local. A vítima foi encaminhada para o hospital inconsciente e em estado grave.

Seis dias depois do crime, o adolescente se apresentou à polícia acompanhado pela mãe e por um advogado. No depoimento ele admitiu ter atirado contra o pai por ele ser violento, alegando legítima defesa, mas a Polícia Civil não acreditou na hipótese.

Testemunhas também relataram a polícia como o crime teria ocorrido. A discussão que motivou o tiro teria começado no dia anterior e seguido na manhã seguinte. Quando o pai foi ao banheiro, o jovem pegou a arma, que pertencia ao pai, e deu apenas um tiro, diretamente na cabeça da vítima.

Uma testemunha chegou a contar a polícia que antes de fugir o adolescente ainda teria passado a mão no sangue do pai e levado à boca para provar o gosto. Depois, ameaçou outras pessoas que estariam na casa e fugiu.

Com informações ND Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.