Notícias de Caçador e Região

Morre a sexta vítima do acidente com caminhão-tanque, no Paraná

Foi confirmada na tarde desta terça-feira, 5, a morte da sexta vítima do acidente trágico que ocorreu no domingo, 3, na rodovia BR-277, na região de Morretes, no Litoral do Paraná. O homem estava internado na UTI do Hospital Evangélico e faleceu por volta das 13h.

Pedro Idalgo Filho, de 55 anos, chegou ao hospital da capital paranaense com 90% do corpo queimado. Ele foi transferido do Hospital de Paranaguá, também no litoral, para Curitiba na segunda-feira, 4.

Ao todo, seis pessoas morreram vítimas do acidente. Caroline Grassmann e Luiz Carlos Silva – pais da bebê que foi encontrada às margens da rodovia – devem ser enterrados na tarde desta terça-feira. Outras três pessoas que viajavam em um Logan morreram no desastre. Entre eles, estão Anderson Luiz Cunha e o filho dele Gabriel Cunha, de apenas 13 anos.

Segundo a Polícia Civil, o corpo do garoto ficou completamente carbonizado e só poderá ser identificado oficialmente por meio de um exame de DNA. Familiares do menino já cederam material genético para o exame. Somente após o expedição de laudo é que o corpo será liberado para o sepultamento. A outra vítima foi identificada previamente como Ana Carolina, que seria namorada de Anderson.

acidente morretes paraná

O motorista do caminhão, com placas de Concórdia, ainda está preso. Em depoimento à Polícia Civil, ele disse que o painel do veículo acusou a existência de uma falha nos freios. Mesmo assim, ele decidiu continuar a viagem, que resultou no acidente. De acordo com os policiais, ele deve responder por homicídio doloso, com dolo eventual, ou seja, quando o autor assume o risco de matar.

Bebê tem alta

O bebê que foi achado com vida no local do acidente teve alta do hospital na tarde desta terça-feira, 5. A menina Maria Fernanda, de 18 dias, saiu do hospital com a avó – os pais morreram no acidente com um caminhão-tanque que perdeu o controle da direção e bateu contra uma mureta de proteção.

O dentista Sérgio Schacht contou aos policiais que foi ele quem pegou Maria Fernanda dos braços do pai, que fugia do fogo.

“Quando eu caí no buraco, tinha um senhor ali, com uma coisa no colo. Quando eu vi, era uma criança. Ele só falava assim: ‘Filho, pega a criança’. Eu peguei. Quando eu fui pegar, ele se esmoreceu e desceu”, conta.

A menina foi retirada do local e levada ao Hospital Evangélico de Curitiba. Ela foi identificada pela avó materna e passou por exames para verificar possíveis consequências do acidente. Segundo o hospital, porém, ela não apresentou nenhum problema e foi liberada para seguir com a avó para Morretes – o hospital comunicou o Conselho Tutelar.

Com informações do Paraná Online e do G1/PR. 

Whats site

Veja Também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.