Notícias de Caçador e Região

Mãe de crianças mortas pelo pai no RS fala da dor de não ter filhos em casa

A mãe das quatro crianças encontradas mortas dentro de casa em Alvorada, no Rio Grande do Sul, falou, nesta quarta-feira, dia 21, sobre a dor de não ter os filhos em casa e que o ex-companheiro nunca aceitou o fim do relacionamento. O homem, de 28 anos, é pai das vítimas e o principal suspeito do crime.

 “Dói deitar na cama e não ter eles [os quatro filhos]. Eu não tenho conseguido dormir, estou tomando remédio para poder dormir porque senão eu não durmo. O dia eu passo bem, mas se começa a escurecer, não tem como. Eu só queria ter eles de volta. Eu sei que nada que vá fazer, vai trazer eles de volta. Mas eu só queria meus filhos de volta, poder levar para minha casa. Era só o que eu queria. Que esse idiota, esse monstro, pague por tudo que ele fez com meus filhos. Pague que por tudo, tudo, tudo, tudo”, disse Thays da Silva Antunes

 

Fim do relacionamento

 Thays e o pai das crianças tiveram um relacionamento por 11 anos. Eles haviam se separado há cerca de três meses. O rompimento foi motivado por uma agressão. Ela registrou um boletim de ocorrência e conseguiu medida protetiva contra o homem. De acordo com a polícia, a principal linha de investigação do caso é vingança.

 “Que ele tirasse a minha vida, que enfiasse a faca em mim, mas não nas crianças, porque as crianças não tinham culpa de nada. Eram só quatro crianças”, disse a mulher

 Thays ficou sabendo que os filhos tinham sido encontrados mortos pela avó das crianças. Segundo ela, nos dias que antecederam o crime, o homem apresentava comportamento normal e não havia feito nenhuma ameaça a ela.

 A mulher conta que quando foi agredida pelo ex tentou estender a proteção aos filhos, mas teve o pedido negado. Segundo ela, em razão de as crianças não terem presenciado a violência contra a mãe. Elas estavam com a avó no dia da agressão.

 Segundo Thays, o pai tinha boa relação com os filhos até então, especialmente com a caçula, de três anos. A mãe afirma que jamais imaginou que ele pudesse fazer mal às crianças.

 O homem está preso desde a madrugada do dia 14 de dezembro, quando foi encontrado em um hotel de Porto Alegre. Segundo a polícia, ele disse que cometeu o crime e que deu calmante às crianças antes da morte. No entanto, na delegacia, durante o depoimento e acompanhado de um defensor público, permaneceu em silêncio.

 

Relembre o caso

 As crianças foram encontradas mortas na casa onde estavam com o pai em Alvorada por volta das 19h30 de 13 de dezembro, quando familiares acionaram a polícia. O homem já havia deixado o local, mas foi encontrado no dia seguinte.

 As crianças, três meninas de 3, 6 e 11 anos e um menino de 8, chegaram à casa do pai na sexta-feira, dia 9, para passar o fim de semana. Na segunda, retornariam para junto da mãe.

 

A principal suspeita da polícia é de que o homem tenha cometido o crime como forma de vingança contra mulher.

Com informações do g1

Veja Também

Comentários estão fechados.