Homem vendendo produtos furtados no Facebook cai em emboscada e acaba detido

Notícia Hoje

Notícia Hoje

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

A Polícia Militar de Caçador foi acionada no final da tarde desta terça-feira, 30, para atender a uma ocorrência de receptação de produto furtado, no bairro Berger. Uma pessoa foi conduzida à Delegacia, mas por determinação do delegado de plantão, foi lavrado apenas um termo circunstanciado e o indivíduo liberado logo em seguida.

De acordo com a PM, no local foi conversado com a vítima, qual relatou que na noite de domingo, 28, teve seu carro, uma vw Saveiro furtada, e que 15min depois ela foi encontrada atrás de uma chapeação. Porém, foi levado um  módulo, um alto falante 12 polegadas, uma corneta, um twitter e o estepe.

A vítima relatou ainda que nesta terça-feira, 30, viu uma pessoa vendendo suas coiass que haviam sido furtados no Facebook por R$ 230,00. Diante disto, ele marcou um encontro na Praça do Berger, para supostamente comprar os produtos e também acionou a Polícia Militar.

Quando a polícia chegou, já estava no local o suspeito de receptação, identificado como Lindomar Adriano de Oliveira, em posse dos objetos furtados.  Em conversa  com o indivíduo, ele revelou que em sua casa haviam mais coisas.

Os policiais deslocaram até o bairro Martello, onde mora o suspeito, e com autorização da mãe de Lindomar foi entrado na residência. Na casa foi encontrada uma caixa de corneta e um twitter.

O suspeito revelou ter pego os produtos de uma pessoa conhecida como Marcelo que devia a ele, porém não sabia onde morava.

Diante disto, Lindomar foi encaminhado à Delegacia para procedimentos cabíveis. Por solicitação do delegado de plantão, os policiais lavraram um termo circunstânciado por receptação culposa e em seguida foi liberado.

A vítima reconheceu todos os seus pertences levados.

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp