Notícias de Caçador e Região

Homem morre após ser baleado por policial militar de folga, em SC

Um homem de 36 anos morreu no hospital após ser baleado por um policial militar de folga em Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense. O caso ocorreu na tarde de segunda-feira (13), no Centro, quando o PM tentou interferir em uma discussão. Um policial civil também está envolvido no caso, que será investigado pela delegacia da comarca.

Uma câmera de monitoramento de um estabelecimento na 3ª Avenida registrou o momento em que três homens estavam em uma calçada, um deles parece estar alterado. Segundo a Polícia Civil, ele estaria cobrando satisfações por causa de um desacordo comercial envolvendo a venda de uma barbearia.

O policial militar também aparece nas imagens, mas está mais afastado. Vendo a discussão, ele se aproxima e tenta afastar a briga. Armado, o homem de 36 anos empurra o PM até um carro o segurando pelo pescoço.

Outro homem aparece nas imagens e tenta afastar os dois. Segundo o delegado Artur Nitz, que vai investigar o caso, ele é policial civil. O PM cai no chão e atira no homem, que também vai ao chão.

Após o primeiro tiro, outras pessoas que estavam próximas saem correndo, incluindo oum dos homens que discutia instantes antes com o homem armado.

Mesmo no chão, o homem aponta a arma para o PM, que atira novamente enquanto o policial civil tenta contê-lo.

Polícia Civil vai investigar morte de homem após ser baleado por PM de folga.

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência e o Corpo de Bombeiros foram acionados e a vítima baleada chegou a ser atendido no hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

De acordo com o delegado Artur Nitz, os dois policiais foram ouvidos na Central de Polícia e liberados. O delegado terá acesso à documentação do caso na tarde desta terça.

Segundo a polícia, ele era gaúcho e morava em Santa Catarina e não tem passagens policiais no estado. Como mostrou o Jornal do Almoço, o policial militar seria comandante do agrupamento da PM em Antônio Carlos. As duas armas usadas tinham registro.

Com informações G1 SC 

Veja Também

Comentários estão fechados.