Notícias de Caçador e Região

Homem admite que matou mulher com seis tiros e é preso

Um homem de 29 anos se entregou para a polícia e admitiu ter matado uma mulher de 44 anos com seis tiros em Xaxim, no Oeste de Santa Catarina. O feminicídio foi registrado por volta das 21h30, no domingo (18). O crime foi registrado por câmeras de segurança. Já o suspeito foi detido na madrugada desta terça-feira (20).

Conforme informado pela Polícia Militar, o suspeito admitiu a autoria do feminicídio ocorrido na noite de domingo. O homem estava com um revólver calibre 38 e seis estojos de munição já deflagrados, a qual teria sido a utilizada no crime, conforme a PM. A prisão ocorreu por volta das 4h30 desta terça-feira, no bairro Bela Vista.

O Sub. Tenente Leandro Luiz da Costa, da Polícia Militar, informou em entrevista ao Balanço Geral Oeste, que nas imagens foi possível ver que a mulher andava na rua quando um homem, escondido atrás de uma árvore, sai. Conforme o Tenente, ao ver quem era o homem, a mulher começou a correr. Após, o homem corre atrás dela, efetua três disparos e ela cai ao chão.

“Quando ela cai no chão, ele se aproxima e, já praticamente a queima a roupa, dispara mais três vezes. Ele termina de executá-la e sai tranquilamente do local”, descreve o Tenente, conforme mostram as cenas das câmeras.

A vítima foi identificada como Neia Lemes, de 44 anos, moradora do bairro Alvorada. A PM informou que a vítima não tinha passagens policiais. Conforme divulgado pelo portal Oeste Mais, Neia era mãe de três filhos.

A filha da vítima disse à PM, segundo divulgado pelo portal Oeste Mais, que a mãe era constantemente ameaçada de morte pelo ex-companheiro. O homem tem passagens policiais por lesão corporal, ameaça, violência doméstica, dano, injúria e conduzir veículo com a capacidade psicomotora alterada. Ainda de acordo com a PM, a vítima teria solicitado medida protetiva e estava com audiência marcada para esta semana.

Homenagens

Na internet, familiares, amigos e diversas pessoas da comunidade manifestaram indignação por mais um caso de feminicídio na região. “Ainda não caiu a fixa, como tiveram coragem de fazer isso com você, tia Neia Lemes? Me ligava pedindo como eu estava, me erguia com palavras, muitas vezes você estava com problemas maiores que o meu problema e ainda queria me ajudar. Deus, não sou boa em palavra, mas também tenho coração. Descanse em paz tia”, escreveu  Leticia Nassinger.

Outra pessoa escreveu, “mais um caso de Feminicídio em nossa região, mas nunca imaginei que seria você minha querida amiga, você vai fazer muita falta. Entretanto, tenho certeza que Deus preparou um ótimo lugar para você, em outro plano, em outra dimensão. Agora você é um espírito de luz, um espírito eterno e por nós, nunca será esquecida. Você será sempre lembrada com muito carinho, com muito respeito e com muita saudade. Descanse em paz, Neia Lemes. E que a justiça dos homens faça sua parte. Aos familiares e amigos meus sinceros sentimentos”, publicou Tito Marcondes Neto.

O caso

A Polícia Militar foi acionada na noite de domingo e recebeu a informação de que havia uma mulher caída e parecia ter sido atingida por arma de fogo. Ao chegar no local, conforme informado pela guarnição, a vítima já estava sem vida. O feminicídio foi registrado por volta das 21h30, no bairro Alvorada.

Foram coletadas imagens de câmeras de segurança que mostram a ação, conforma a PM as imagens mostram um homem e o momento em que faz os seis disparos de arma de fogo contra a vítima e em seguida foge do local. A guarnição fez buscas, em um primeiro momento, mas o suspeito não foi localizado. Apenas nesta terça-feira ele foi preso. A Polícia Civil investiga o caso. Ainda não há indícios da motivação do crime.

Como denunciar?

A denúncia tem papel fundamental para coibir crimes contra as mulheres. Para denunciar, por meio da Central de Atendimento à Mulher, no Disque 180, presta escuta e acolhida qualificada às mulheres em situação de violência. O serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgãos competentes.

A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas, todos os dias da semana. São atendidas todas as pessoas que ligam relatando eventos de violência contra a mulher. O Ligue 180 atende todo o território nacional e também pode ser acessado em outros países.

Com informações ND Mais

Veja Também

Comentários estão fechados.