Notícias de Caçador e Região

Governo suspende uso de matéria-prima de petiscos suspeitos de intoxicar e matar cães

O Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) determinou nesta terça-feira (6), a suspensão imediata do uso em linhas de produção de dois lotes da matéria-prima propilenoglicol da empresa Tecno Clean Industrial LTDA. Foram encontradas irregularidades na fábrica.

O produto faz parte dos ingredientes usados na fabricação dos alimentos para animais da Bassar Pet Food, empresa que produz os petiscos suspeitos de intoxicar e matar cães pelo Brasil. Ele tem a finalidade de manter o petisco seco. As informações foram divulgados na quarta-feira (7).

O Mapa determinou que as indústrias registradas no Ministério que tenham comprado os dois lotes de propilenoglicol suspendam imediatamente o uso.

“As empresas fabricantes de produtos para alimentação animal registradas no Mapa também devem identificar os produtos fabricados com o uso dessas matérias-primas e, caso encontrem, devem fazer o recolhimento no comércio atacadista e varejista”, determinou o órgão.

“Os procedimentos deverão ser comunicados aos serviços de inspeção de produtos de origem animal de cada jurisdição, para controle e ações complementares do Mapa”, completou o Ministério da Agricultura.

A reportagem do R7 tenta contato com a Tecno Clean Industrial Ltda. Em nota, a Bassar Pet Food declarou que é “a maior interessada no esclarecimento dos fatos”.

Segundo a companhia, os exames preliminares do Mapa indicaram que os lotes de propilenoglicol da Tecno Clean estavam contaminados com etilenoglicol. A substância é um anticongelante tóxico. Um laudo da Polícia Civil de Minas Gerais também já havia indicado a presença do produto em um dos petiscos da Bassar.

“A empresa está realizando um recall de todos os seus produtos junto a seus consumidores, solicitando que entreguem no local de venda os itens que já tenham adquirido anteriormente. A Bassar Pet Food já vinha recolhendo todas as suas linhas do varejo nacional e havia interrompido sua produção na semana passada”, declarou a Bassar Pet Food.

Investigação

O caso foi revelado pela Record TV Minas. Oficialmente, a Polícia Civil de Minas Gerais já foi notificada sobre 40 mortes de cães. Um movimento liderado por tutores reúne 51 supostas vítimas, em diferentes Estados brasileiros.

Em Santa Catarina há registro de morte de pelo menos um cachorro, no caso, em Laguna, na região Sul do Estado.

Os animais começaram a passar mal após o consumo de petiscos das linhas Every Day e Dental Care, da Bassar Pet Food. Eles apresentaram prostração, diarreia, vômito e falhas renais.

Segundo o Mapa, a contaminação estaria nos lotes 3554 e lote 3467. O governo determinou o recolhimento dos pacotes. A fábrica da empresa em São Paulo foi interditada.

Com informações do R7. 

 

Veja Também

Comentários estão fechados.