Notícias de Caçador e Região

Governo de Santa Catarina estuda criação de auxílio emergencial

O governador Carlos Moisés da Silva determinou que a Secretaria da Fazenda (SC) faça um estudo técnico para implementação de um auxílio emergencial em Santa Catarina. A ideia é definir os recursos que podem ser utilizados no programa de transferência de renda para desempregados e trabalhadores que tiveram a renda reduzida em razão da pandemia.

O chefe do Poder Executivo estadual disse que a ideia deve ser construída em conjunto com a Assembleia Legislativa (Alesc).

A intenção de Moisés é atender as famílias que atualmente estão sem renda, bem como os trabalhadores autônomos, os ambulantes e os micro e pequenos empresários que não têm condições de acessar os programas de crédito já lançados pelo governo.

“Determinei à Secretaria da Fazenda que realize esse levantamento no mais curto espaço de tempo possível, a fim de buscarmos a melhor forma de atender aquelas famílias que se encontram em situação de extrema necessidade no nosso Estado”, destacou o governador.

Na semana passada, o secretário da Fazenda (SC), Paulo Eli, disse que não havia necessidade desse tipo de ajuda. Segundo ele, o estado “vive o pleno emprego e não há porque pagar o auxílio para as pessoas ficarem em casa quando estamos importando trabalhadores do Haiti, Venezuela, Rio Grande do Sul e Paraná”. A declaração provocou forte reação em entidades empresariais e na Alesc.

​Para a Abrasel, a frase de Eli está “desconectada da realidade”, como afirmou o presidente da instituição que representa bares e restaurantes, Raphael Dabdab. Ele diz que 40% dos negócios do segmento fecharam as portas desde o início da pandemia.

Na Alesc, existem dois projetos que tratam do assunto. O deputado Marcos Vieira informou que há dinheiro em caixa, mas o projeto precisa ser construído em parceria com o governo.​

Embora desde o início da pandemia o governo já tenha disponibilizado pelo menos R$ 1,4 bilhão em programas de incentivo, linhas de crédito e outras medidas de subsídio a empreendedores catarinenses de diversos setores, há um contingente que, em razão da retração econômica imposta pela crise sanitária, não possui condições de acessar esses recursos.

Com informações NSC Total 

Veja Também

Comentários estão fechados.