Notícias de Caçador e Região

Gabinete de Crise de SC condena protestos e afirma que fará de tudo para liberar rodovias

Uma reunião, realizada na manhã desta terça-feira, 1º, do Gabinete de Crise de Santa Catarina, traçou os passos a serem adotados na desmobilização dos bloqueios no Estado, seguindo determinação judicial do Superior Tribunal Federal (STF).

A reunião contou com a participação da Polícia Rodoviária Federal, Secretaria de Estado da Saúde, Governo do Estado, Comando geral da Polícia Militar, Ministério Público e Tribunal de Justiça de SC.

Segundo o que definiram os integrantes do Gabinete, todas as medidas necessárias para a liberação das rodovias serão adotadas.

“Condenamos estes protestos e faremos de tudo para liberar as rodovias”, afirmou, de forma incisiva, o presidente do Colegiado, perito-geral Giovani Eduardo Adriano.

Além disso, segundo ele, as multas, estabelecidas pela ordem judicial, serão aplicadas. “Multa de R$ 10 mil por CPF de cada um que estiver indo contra as determinações e de R$ 100 mil por CNPJ, por hora. Gostaria de deixar bem claro para depois não ter reclamação. Não estamos perseguindo ninguém, mas sim, cumprindo a determinação da Justiça”, destacou.

Ainda, segundo o presidente, a cobrança será bastante rápida, como já ocorreu em outras situações semelhantes.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Marcelo Pontes, afirmou que, com a determinação judicial, já foram iniciados os diálogos para que os manifestantes liberem as rodovias de forma voluntária. “Não é trancando rodovias que vai se resolver problemas”, destacou.

Além disso, o coronel destacou que só será usada a força caso necessário. “Temos que ter muito cuidado e sensibilidade e usaremos a força apenas como última alternativa. Neste primeiro momento, é dialogar e identificar as pessoas e veículos para aplicar as multas, cumprindo a determinação judicial”, acrescentou.

Junto disso, o comandante ressaltou que durante a tarde, serão atendidos, de forma prioritária alguns veículos e realizadas escoltas. “Veículos com combustível, de passageiros e outros passarão a ser liberados onde houver maior resistência”, afirmou.

Segundo o Ministério Público, foi mobilizado ainda o Gaeco de todas as regiões para identificar os organizadores dos bloqueios e assim serem punidos judicialmente.

O Grupo acredita que os bloqueios passem a serem desfeitos gradualmente no decorrer do dia. “Já recuperamos 14 pontos no Estado. São movimentos com bastante concentração, estamos avançando e cumprindo as medidas judiciais”, ressaltou o superintendente da Polícia Rodoviária Federal, André Saul.

“Já temos impacto na Saúde, alimentos para hospitais, entre outros e não vamos permitir que isso continue acontecer”, finalizou o secretário de Estado da Saúde, Aldo Baptista Neto.

Veja Também

Comentários estão fechados.