Notícias de Caçador e Região

Fazendeiro retira pedra do caminho e muda ‘sem querer’ fronteira da Bélgica e da França

Imagine você ‘sem querer’ mudar a fronteira de um país só tirando uma pedra do lugar? Foi o que aconteceu com um fazendeiro na Bélgica, em uma situação que causou comoção nacional depois dele ‘redefinir’, por acidente, os limites do país com a França. As informações são da BBC.

O caso foi descoberto por uma pessoa, com conhecimento sobre história e as fronteiras dos dois países, que estava passeando por uma floresta entre a Bélgica e a França. Durante o passeio, ele viu que a pedra, que marcava a fronteira, havia sido deslocada em 2,29 metros.

A suspeita é que o fazendeiro tenha tirado a pedra por ela, literalmente, ser um incômodo no seu caminho. Por isso, a moveu para o território francês. Mas, diferente do que se imaginava, o incidente foi recebido com sorrisos e piadas em ambos os lados da fronteira.

“Ele aumentou o tamanho da Bélgica e diminuiu o da França, não é uma boa ideia”, disse David Lavaux, prefeito da vila belga de Erquelinnes, ao canal de TV francês TF1. Ele ressaltou, ainda, que no passado, esse tipo de mudança causaria uma dor de cabeça enorme entre os proprietários de terras privadas e entre os Estados vizinhos.

A fronteira entre França a Bélgica se estende por 620 km. Ela foi formalmente estabelecida no Tratado de Kortrijk, assinado em 1820 após a derrota de Napoleão em Waterloo, cinco anos antes.

A pedra, retirada pelo fazendeiro, é de 1819 quando a fronteira foi demarcada pela primeira vez. “Fiquei feliz, minha cidade ficou maior”, acrescentou o prefeito belga, rindo. “Mas o prefeito de Bousignies-sur-Roc não gostou.”

Já a prefeita do vilarejo francês vizinho, Aurélie Welonek, brincou: “Acho que seremos capazes de evitar uma nova guerra de fronteira”.

Agora, as autoridades belgas planejam conversar com o fazendeiro para que ele coloque a pedra no local original. Se isso não acontecer, o caso pode, em tese, ir parar no Ministério das Relações Exteriores da Bélgica, que teria que convocar uma comissão de fronteira franco-belga, algo que não acontece desde 1930.

Com isso, o agricultor também pode enfrentar um processo criminal se não cumprir a ordem. “Se ele mostrar boa vontade, não terá problemas, resolveremos a questão amigavelmente”, disse ele ao site de notícias belga Sudinfo.

Com informações ND Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.