Notícias de Caçador e Região

Ex-marido é preso suspeito de mandar executar mulher no PR, diz polícia

O ex-marido de Ana Campestrini foi preso nesta quinta-feira (24) suspeito de ser o mandante da execução da vítima, morta a tiros em Curitiba, de acordo com a Polícia Civil (PC). Além dele, também foi preso o suspeito dos disparos.

O caso é tratado como feminicídio, segundo a PC.

Com eles, a Polícia Civil apreendeu ainda equipamentos eletrônicos e computadores que serão periciados.

A arma do crime e a motocicleta não foram localizadas até a publicação desta reportagem, de acordo com a polícia.

Conforme a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), os dois fazem parte da diretoria de um clube social de Curitiba e têm relação de amizade.

Eles devem prestar depoimento na delegacia ainda nesta quinta-feira. Os dois têm passagens anteriores pela polícia, sendo o ex-marido por crimes de pena menor, enquanto o atirador por tráfico de drogas e outros crimes envolvendo violência doméstica e familiar.

De acordo com a delegada Camila Cecconelo, no dia da execução, Ana Paula foi até o clube onde o marido é presidente para fazer uma carteirinha que a daria acesso aos filhos.

Ao deixar o local, ela foi seguida pela motocicleta por cerca de 15 minutos que, segundo a polícia, pertence ao diretor do clube. Quando chegou na entrada do condomínio onde morava, o suspeito então disparou 14 tiros contra o carro de Ana Paula.

Segundo a delegada Tathiana Laiz Guzella, Ana Paula havia se mudado há cerca de um mês para o local.
Motivação

Segundo Tathiana Laiz Guzella, a principal linha de investigação é que a motivação do crime tenha sido a disputa judicial que envolve o processo do divórcio entre Ana Paula e o ex-marido.

“A motivação seria um conjunto de fatores e em especial, do último mês pra cá, decisões judiciais que desfavoreciam esse investigado nas questões patrimoniais envolvendo aí as ações do casal”, afirmou.

A disputa judicial dura mais de três anos, com ao menos cinco processos em andamento envolvendo a guarda dos filhos e também a divisão de bens.

Câmera de segurança

O assassinato de Ana Paula foi registrado por uma câmera de segurança. As imagens foram divulgadas pela polícia.

No vídeo, é possível ver que a vítima se aproxima do portão do prédio quando um motociclista para ao lado, aponta a arma e atira várias vezes.

‘Joia rara’, disse namorada

Ana Paula deixou três filhos, de nove, 11 e 17 anos. Ela namorava há dois anos com Luana Melo que, na quarta-feira (23), fez um desabafo sobre quem era a namorada.

Em um vídeo, Luana lamentou a perda da companheira e ressaltou as características da vítima, segundo ela, uma mulher alegre, divertida e brincalhona.

Segundo a jovem, a vítima era “uma joia rara nesse mundo”.

“Ela tinha um coração, uma bondade sem limites, não importando a situação que ela estava, ela tirava do dela mesmo que não tivesse muito para ajudar outras pessoas”, relembrou.

Investigações

Antes de namorar com Luana, Ana Paula foi casada por 17 anos. Ela tinha se separado do ex-marido há cerca de quatro anos.

Segundo a polícia, a vítima foi atingida por mais de 10 tiros. No momento dos disparos ela estava sozinha e, para a polícia, foi seguida.

Com informações G1

Veja Também

Comentários estão fechados.