Ex-assessor diz que teve caso ‘amoroso’ com Jair Renan Bolsonaro

Jonathan Ribeiro

Jonathan Ribeiro

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

Jair Renan

Diego Pupe, ex-assessor de Jair Renan Bolsonaro, disse nesta quinta-feira (14) à Polícia Civil do Distrito Federal que manteve um relacionamento “amoroso” com o filho do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). As informações foram reveladas pelo Metrópoles.

Pupe compareceu à Polícia Civil para depor no âmbito da Operação Nexum, que apura crimes contra a fé pública e associação criminosa. Jair Renan foi alvo de busca e apreensão, em Balneário Camboriú, em 24 de agosto.

“Eu tive um relacionamento com o Renan, do qual não falei para ninguém ainda. Eu estava esperando todo esse ‘auê’ da polícia, mas logo logo eu vou falar sobre isso, tá bom? Eu tinha um relacionamento íntimo com ele, romântico”, disse Pupe.

O ND+ procurou Jair Renan através de mensagens por redes sociais para comentar o caso, mas ainda não obteve retorno.

Jair Renan vive em SC

Alvo de operação da Polícia Civil do Distrito Federal na semana passada, Jair Renan Valle Bolsonaro, filho do ex-presidente Jair Bolsonaro, vive em Santa Catarina com salário de R$ 9,5 mil. Nomeado no gabinete do senador Jorge Seif (PL), ele mora em Balneário Camboriú e faz “caravana” nos municípios como principal cabo eleitoral do bolsonarismo. A presença dele em clubes de tiro no Estado também é assídua em suas redes sociais.

Renan é alocado como “auxiliar parlamentar pleno” no gabinete de Seif, que foi secretário de Pesca no governo Bolsonaro. A informação está disponível no portal da transparência do Senado Federal

O filho de Bolsonaro exerce o cargo sem precisar “bater o ponto”. A presença no trabalho pode ser abonada por seu superior direto no gabinete, algo permitido no Senado desde 2017, quando foi publicado o APS (Ato da Primeira Secretaria) número 2.

Jair Renan virou o principal cabo eleitoral e político da família Bolsonaro em Santa Catarina. De olho em seu potencial, o PL vê no “04” a grande chance para capitalizar eleitores simpatizantes do bolsonarismo em 2024.

O colunista do Grupo ND, Paulo Rolemberg, publicou em julho a intenção da família Bolsonaro de ter um candidato em Santa Catarina.

Jair Renan é visto dentro do PL como um “puxador de votos”. O partido tem três vereadores na Câmara de Balneário Camboriú e espera eleger sete no próximo ano.

Paralelo a isso, Jair Renan também faz “caravana” por municípios de Santa Catarina. Ele já visitou a Prefeitura de Chapecó, foi a escola militar em Blumenau, almoçou com lideranças do PL em Gaspar, e já curtiu balada em Criciúma. O mais recente registro ocorreu em vista ao 12º Batalhão da PM, em Balneário Camboriú.

Amigo de Jair Renan é investigado pela polícia

Na manhã de quinta-feira (24), dois endereços de Jair Renan Bolsonaro foram alvos de busca e apreensão. A Polícia Civil do Distrito Federal investiga supostos crimes como falsidade ideológica, associação criminosa, estelionato, crimes contra a ordem tributária e lavagem de dinheiro.

Segundo a Polícia, a operação trata como o principal alvo da operação e mentor do esquema coleciona registros criminais por falsificação de documentos, estelionato, organização criminosa, peculato, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, uso de documento falso e disparo de arma de fogo e, no ano de 2023, já foi alvo de duas operações da PCDF.

A defesa de Jair Renan disse que houve busca e apreensão na residência do filho do ex-presidente que fica em Balneário Camboriú. A equipe afirmou que foram apreendidos um aparelho celular, um HD e papéis com anotações particulares, além de confirmar que não houve condução de Renan “para depoimento ou qualquer outra medida”.

Em entrevista à TV Senado, o irmão, Flávio Bolsonaro (PL), disse que ficou surpreso com a operação.

“Fiquei surpreso porque é um garoto do bem, que trabalha, que tem que suar muito para pagar as suas contas, ou seja, não tem dinheiro, não tem patrimônio, e está sendo acusado de lavar dinheiro. Não faz nenhum sentido isso. E, no meu ponto de vista, mais uma vez, estão procurando pelo em ovo por causa do sobrenome dele, como tem feito conosco, da família e várias pessoas no entorno”, disse.

Um amigo de Jair Renan, Maciel Carvalho, de 41 anos, chegou a ser preso no início deste ano, suspeito do mesmo crime.

Carvalho é amigo pessoal de Jair Renan. Os dois se conheceram quando Maciel era instrutor de tiros de Jair e da mãe dele, Ana Cristina Siqueira Valle.

Em 2022, Maciel passou a se apresentar como advogado de Renan ao ponto de, em 29 de setembro, apresentar à polícia um boletim de ocorrência depois que a casa de Jair Renan foi pichada, em Brasília.

Maciel foi preso no começo deste ano por posse ilegal de armas. Em seu endereço, a CNH de Jair Renan Bolsonaro foi encontrada.

Com informações ND Mais 

LEIA TAMBÉM: 8 de janeiro: Primeiro julgamento condena réu a 17 anos de prisão

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp