Notícias de Caçador e Região

Estudo indica proteção da Coronavac de até 77,7% em infectados pela variante Delta

Um novo estudo desenvolvido pelo CDC chinês (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) e pela Escola de Saúde Pública de Guandong, na China, demonstraram que as vacinas de vírus inativado, como a Coronavac, apresentaram proteção entre 69,5% até 77,7% contra pneumonia causada pela Covid-19 diante da infecção com a variante Delta.

Segundo a reportagem da Folha de S. Paulo, a proteção para casos graves de Covid-19 causados pela Delta foi de até 100%. O artigo foi enviado para publicação na revista científica The Lancet e divulgado na página oficial de artigos ainda sem a revisão por pares da revista.

Além da Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac e produzida no Brasil em parceria com o Instituto Butantan, foram analisadas também as vacinas Sinopharm e a da empresa Biokangtai. Porém, esta última não apresentou resultados devido à baixa quantidade de imunizantes aplicados no país.

Como foi realizado o estudo

Para avaliar a eficácia das vacinas inativadas contra a Covid-19 em comparação a delta, os pesquisadores colheram dados de 10.813 pessoas infectadas com o novo coronavírus ou de contatos próximos, como pessoas que moravam na mesma casa que um infectado ou que conviviam com aquela pessoa até quatro dias antes dos sintomas começarem a aparecer nos infectados.

Dos 10.813 incluídos na pesquisa, 54,4% não eram vacinados, 28,95% receberam pelo menos uma dose da vacina e 14,6% receberam as duas doses. A maioria dos participantes recebeu pelo menos uma dose ou as duas injeções da Coronavac, sendo 51,3% e 58,3%, respectivamente.

Resultado

Foram registrados 102 casos de pneumonia decorrentes da Covid-19, sendo que 85 deles em pessoas não vacinadas, 12 em indivíduos com pelo menos uma dose das vacinas e apenas cinco em pessoas com esquema vacinal completo.

A proteção da vacina com duas doses foi de 77,7%, caindo para 69,5% quando comparada a outros fatores como profissão, sexo, idade ou local de residência. Nas pessoas que tinham recebido apenas uma dose da vacina, o imunizante não foi suficiente para impedir casos de pneumonia nesses pacientes.

Já em relação ao quadro grave de Covid-19, houve 19 casos, todos em não vacinados, o que aponta para uma efetividade das vacinas de 100%. Contudo, como o número de casos é relativamente baixo, é preciso aguardar mais estudos para confirmar esse valor.

A pesquisa, apesar de contar com um número pequeno de casos confirmados, é a primeira evidência da eficácia das vacinas de vírus inativado, como a Coronavac, contra casos graves e pneumonia causados pela variante delta, como já foi demonstrado em estudos para outras cepas do vírus.

Eficácia de outras vacinas

Um estudo feito por pesquisadores do Reino Unido e divulgado em junho apontou que as vacinas da Pfizer e da AstraZeneca mantêm a eficácia contra casos de Covid-19 causados pela delta, embora em uma taxa menor que a encontrada para outras formas do vírus, incluindo a alfa, sendo de 92% para 79%, no caso da Pfizer, e de 73% para 60%, da AstraZeneca.

Já a proteção para hospitalização, calculada a partir de outro estudo conduzido pelo órgão de Saúde Pública da Inglaterra, foi de 94% e 96% com a vacina da Pfizer, e 71% e 92% com a da AstraZeneca, para uma ou duas doses, respectivamente. Um estudo sobre a vacina da Janssen, aplicada em dose única, mostrou que o imunizante mantém a eficácia contra a delta.

Com informações ND Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.