Notícias de Caçador e Região

Empresa terceirizada para transporte escolar, em Rio das Antas, é suspeita de fraudar rastreadores

Uma empresa terceirizada para transportes escolar, em Rio das Antas, é suspeita de ter fraudado os rastreadores de seus veículos e, logo, o contrato assinado com a Prefeitura.

O caso foi apresentado para a Câmara Municipal e motivou, inclusive, uma sessão extraordinária, realizada nesta sexta-feira, 10. Além disso, a Polícia Militar foi acionada e deu apoio à situação.

A suspeita é de que a empresa agia da seguinte forma: em vez de os ônibus finalizarem a rota no Centro da cidade, em local especificado pelo contrato, o veículo ficava na casa do motorista, no final da linha quando todos os alunos desembarcavam e, início da linha no dia seguinte.

Para diminuir os gastos, uma pessoa ia até o ônibus e retirava o rastreador e, com um carro pequeno, voltava até a cidade, para tentar ludibriar o sistema de rastreamento dos ônibus.

Como a empresa recebe pela quilometragem rodada durante o mês, a ação do proprietário do veículo seria no sentido de burlar o sistema em prol de diminuir os seus custos.

“Instalamos os rastreadores nos ônibus para dar mais segurança para os pais dos nossos alunos, que são a nossa maior preocupação. Este sistema faz com que saibamos onde estão os veículos e os seus trajetos, mas nunca imaginamos que haveria uma suspeita de fraude como essa”, reforçou o prefeito, João Munaretto.

Diante da denúncia, todas as empresas de ônibus do transporte escolar foram convocadas pela Prefeitura a levarem seus veículos até a frente da Câmara. “Precisamos dar uma resposta para todos os rioantenses e, uma denúncia grave como essa, merece toda a nossa atenção”, destacou o vice-prefeito, Selmir Bodanse.

Técnicos da empresa responsável pelos rastreadores estiveram no local e averiguaram todos os ônibus, das mais variadas empresas de transporte, vencedoras de licitações, em Rio das Antas. Entretanto, apenas os veículos da Lussi Tur Transportes Eireli, denunciada na Câmara Municipal, tiveram os rastreadores burlados. “Os equipamentos foram retirados, junto com a fita isolante e as cintas que prendiam a fiação”, atestaram os técnicos dos rastreadores.

Com um dos rastreadores do ônibus da empresa Lussi em mãos, a presidente da Câmara, Luciana Bodanese, conduziu a sessão, e afirmou que o objetivo, a partir de agora, é averiguar os culpados. “Falam tanto que os políticos são corruptos, ladrões. Mas, o que vemos aqui, onde foram retirados os rastreadores, por parte de uma empresa privada e que recebe dinheiro público, é inaceitável e, sim, corrupção”, ressaltou.

Prefeitura vai suspender contrato

A decisão da Prefeitura de Rio das Antas foi imediata. “Vamos suspender o contrato com esta empresa, até que as investigações sejam concluídas”, completou o advogado da Prefeitura, Edson Carneiro.
Um plano de contingência já foi elaborado e a Prefeitura de Rio das Antas vai assumir, de forma emergencial, o transporte dos alunos das linhas da Lussi.

O que diz a empresa

O representante da empresa Lussi Tur, Edomar Lussi, fez uso da palavra na sessão da Câmara. Ele confessou que fez a retirada do rastreador de um dos ônibus, alegando que o veículo estava na manutenção. “Estes ônibus são todos eletrônicos e todos sabem que, quando dão problema, a primeira coisa que queima são os rastreadores”, afirmou, sem nenhuma base técnica para tal.

Entretanto, a presidente da Câmara e uma comitiva foram até alguns locais, onde os rastreadores apontavam que os ônibus da Lussi estavam estacionados, mas não encontram os veículos.
Sobre esta situação, Edomar não se manifestou, insistindo, de forma contínua, no fato de ter retirado o rastreador de um dos veículos. “Retirei mesmo”.

Segundo o contrato, esta atitude de Edomar é ilegal.

Veja Também

Comentários estão fechados.