Notícias de Caçador e Região

Empregadores e trabalhadores fecham acordo para novo mínimo de SC

Entidades representativas dos empregadores e dos trabalhadores de Santa Catarina chegaram a um acordo nesta terça-feira (15), em reunião na sede da Federação das Indústrias (FIESC), sobre os índices de atualização das quatro faixas do mínimo regional do Estado. Os percentuais ficaram entre 9,28% e 9,37%, elevando os valores a serem praticados neste ano para R$ 765 (1ª faixa), R$ 793 (2ª faixa), R$ 835 (3ª faixa) e R$ 875 (4ª faixa).  

Os resultados da negociação serão encaminhados ao governador Raimundo Colombo, para que seja enviado à Assembleia Legislativa o projeto de lei relativo à atualização, que já é válida para o salário a ser pago no mês de janeiro.

 

O presidente da FIESC, Glauco José Côrte, disse que o acordo mostra o amadurecimento nas relações entre as partes. “As negociações se iniciaram no ano passado e a boa conclusão delas é mais um passo no sentido da parceria entre empregadores e trabalhadores. Nossa preocupação agora é a empregabilidade e temos que fazer um grande esforço para que em 2013 possamos seguir gerando empregos”, afirmou.

 

O coordenador sindical do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), Ivo Castanheira, considera que a negociação é um dos momentos mais importantes do movimento sindical, tanto para trabalhadores, quanto para empresários. Ele destacou como diferencial o fato de que, ao contrário do que o ocorre em outros estados que possuem o mínimo regional, em Santa Catarina as negociações são conduzidas diretamente entre trabalhadores e empregadores. “Estamos substituindo o governo e fazemos isso muito bem”, disse.

 

Pelo lado dos empregadores participaram, além da FIESC, as Federações do Comércio (Fecomércio), da Agricultura (FAESC), dos Transportes (Fetrancesc) e do Sindicato das Indústrias de Fiação, Tecelagem e do Vestuário de Blumenau (Sintex). Representaram os trabalhadores a Nova Central Sindical dos Trabalhadores (NCST), a Central Única dos Trabalhadores (CUT-SC), a Força Sindical, a União Geral dos Trabalhadores (UGT), o Dieese, além das Federações dos Trabalhadores da Indústria de Santa Catarina (Fetiesc), das Indústrias da Construção e do Mobiliário de Santa Catarina (Feticom), dos Estabelecimentos de Ensino (Feteesc), das Indústrias de Carnes, Alimentação e Afins (Fetiaesc), nas Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material (Fetimmmesc), do Comércio (Fecesc) e dos Trabalhadores na Agricultura (Fetaesc).

 

Primeira faixa:

– agricultura e pecuária;

– indústrias extrativas e beneficiamento;

– empresas de pesca e aquicultura;

– empregados domésticos;

– indústrias da construção civil;

– indústrias de instrumentos musicais e brinquedos;

– estabelecimentos hípicos; e

– empregados motociclistas, motoboys, e do transporte em geral, excetuando-se os motoristas.

 

Segunda faixa:

– indústrias do vestuário e calçado;

– indústrias de fiação e tecelagem;

– indústrias de artefatos de couro;

– indústrias do papel, papelão e cortiça;

– empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas;

– empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas;

– empregados em estabelecimentos de serviços de saúde;

– empregados em empresas de comunicações e telemarketing; e

– indústrias do mobiliário.

 

Terceira faixa:

– indústrias químicas e farmacêuticas;

– indústrias cinematográficas;

– indústrias da alimentação;

– empregados no comércio em geral; e

– empregados de agentes autônomos do comércio.

 

Quarta faixa:

– indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico;

– indústrias gráficas;

– indústrias de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana;

– indústrias de artefatos de borracha;

– empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito;

– edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, em turismo e hospitalidade;

– indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas;

– auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino);

– empregados em estabelecimento de cultura;

– empregados em processamento de dados; e

– empregados motoristas do transporte em geral.

 

Assessoria de Imprensa Sistema FIESC

 

Veja Também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.