‘Doença e inveja’: como falso curandeiro fez mulher perder R$ 1,8 mil?

Notícia Hoje

Notícia Hoje

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

Uma mulher perdeu R$ 1,8 mil ao cair em um golpe do falso curandeiro. O crime de estelionato foi registrado pela PM (Polícia Militar) na quinta-feira (3) na linha Santo Expedito, interior do município de Descanso, no Extremo-Oeste de Santa Catarina.

A vítima contou aos policiais que, no dia 30 de julho, um homem esteve em sua casa, se identificou pelo nome de “índio” e ofereceu serviços de cura. Por coincidência, o marido da mulher estava muito doente e eles supostamente estaria sofrendo por “olho gordo”.

O falso curandeiro os iludiu com falsas promessas de cura e livramento da inveja e do mau-olhado.

Conforme a mulher, ele ainda disse que uma pessoa da família sofreria um grave acidente e outra enfrentaria problemas de saúde caso não fizessem o pagamento para que ele realizasse rituais de cura e orações.

Falso curandeiro cobrou R$ 1,8 mil pelos serviços

O homem ainda teria feito simpatias em um prato e um copo com o uso de três moedas e fez com que a vítima efetuasse o pagamento dos R$ 1,8 mil pelos serviços.

O falso curandeiro disse que a família não deveria contar sobre os trabalhos realizados a ninguém pelo prazo de 15 dias, caso contrário não funcionaria.

Acreditando nas promessas do homem, a mulher pagou o valor. Horas mais tarde, o falso curandeiro ligou diversas vezes para o telefone da mulher e disse que precisava voltar na casa da família. Foi então que ela percebeu que havia caído em um golpe.

A PM registrou um boletim de ocorrência e orientou a mulher.

O que é o crime estelionato?

A ação criminosa do falso curandeiro se enquadra no crime de estelionato, tipificado pelo artigo 171 do Código Penal Brasileiro. Para que esse crime seja caracterizado, é necessário ocorrer a indução ao erro, resultando na obtenção de vantagem ilícita pelo golpista, causando prejuízo à vítima.

No caso em questão, o estelionatário se utilizou de artimanhas enganosas para convencer a mulher a realizar o pagamento pelos supostos serviços de cura e rituais.

Com informações ND Mais 

LEIA TAMBÉM: Dupla que assassinou radialista é condenada por latrocínio

 

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp