Início / Colunas / Desemprego cresce – Por Ericsson Luef

Desemprego cresce – Por Ericsson Luef

Na semana que comemoramos o dia do trabalhador, as notícias não são boas.  O IBGE aponta o maior número de desempregados desde que se começou a Pesquisa Nacional de Amostragem por Domicílio Contínua (PNAD), em 2002.

São 14,2 milhões de pessoas sem emprego. A taxa de desocupação cresceu 13,7% no trimestre encerrado em março, na comparação com o último em 2016.

É um flagelo social, a face mais cruel da crise econômica que o Brasil atravessa nos últimos dois anos.

Sem trabalho,  sem emprego,  como sustentar uma família? Como ajudar em casa?

O pior é a perspectiva. O coordenador da pesquisa do IBGE, Cimar Azeredo, diz: “Não há nada absolutamente nada que mostre qualquer indício de recuperação”.

Retomada discreta

Temos acompanhado alguns sinais de retomada econômica no país. A queda na taxa de juros, inflação baixa, aprovação das mudanças trabalhistas e a proposta de Reforma Previdenciária sinalizam novas perspectivas, positivas.

Mas os impactos na geração de empregos ainda são uma incógnita, tal é o tamanho do buraco que nos colocaram. E serão, caso aconteçam, lentos.

Se a crise chega rápida, a retomada não tem a mesma agilidade.

Prioridade

Esta deve ser a prioridade de nossos governantes e políticos.

Trazer de volta a dignidade para milhões de cidadãos brasileiros. Homens, mulheres, jovens, idosos precisam de oportunidades, de espaço para voltar a produzir riquezas e garantir o sustento de suas famílias.

A inclusão destas pessoas no mercado de trabalho gera um efeito direto na economia. Mais gente recebendo salário é mais dinheiro que gira.

É preciso criar políticas públicas concretas para garantir essa retomada no emprego e assim voltar a dar condições do país voltar ao trilho do desenvolvimento.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Sobre Ericsson Luef

Eu sou Ericsson Luef e venho da loira Blumenau, no Vale do Itajaí. Na cidade, minha família construiu uma história de sucesso, um empreendimento que é referência nacional.A Companhia Hemmer, empresa que completou cem anos em 2015, que tenho o orgulho de presidir o Conselho Administrativo. Contamos com 700 colaboradores, responsáveis pela produção de 350 itens alimentícios. Sou um apaixonado por esportes, em especial o futebol. Fui dirigente do Metropolitano, equipe de Blumenau, e sou vice-presidente da Federação Catarinense de Futebol.Mais recentemente comecei a militar na política, por entender que apenas cidadãos de bem podem mudar o estado de coisas que assistimos no Brasil. Se queremos um país diferente, precisamos de posturas diferentes e sair da nossa zona de conforto

Veja também

Acadêmicos de Fisioterapia da Uniarp visitam Hospital Maicé

Acadêmicos da 1ª fase do curso de Fisioterapia da Uniarp vivenciaram momentos ímpares de aprendizagem …