Conheça o remédio que pode reduzir em 50% o risco de morte e internação por Covid-19

Notícia Hoje

Notícia Hoje

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

Um novo medicamento oral experimental da MSD (Merck Sharp & Dohme) contra a Covid-19 chamado Molnupiravir pode reduzir em cerca de 50% o risco de hospitalizações e mortes pelo vírus. É o que indica os resultados de testes clínicos divulgados na última sexta-feira (1º).

Um novo medicamento oral experimental da MSD (Merck Sharp & Dohme) contra a Covid-19 chamado Molnupiravir pode reduzir em cerca de 50% o risco de hospitalizações e mortes pelo vírus. É o que indica os resultados de testes clínicos divulgados na última sexta-feira (1º).

O medicamento molnupiravir

Molnupiravir é um remédio antiviral que está sendo testado pela farmacêutica Merck em parceria com a empresa Ridgeback Biotherapeutics como uma das alternativas para tratar a infecção pelo coronavírus.

O objetivo é realizar o tratamento via oral por meio de pílulas no início da infecção. “Caso seja autorizado o uso, o molnupiravir poderia ser o primeiro medicamento antiviral de uso oral contra a covid-19”, afirmou a Merck por meio de comunicado. A medicação inibe a replicação do vírus no organismo.

Resultados de testes

Foram testados 775 participantes que tinham sintomas da Covid-19 e que não foram vacinados. A empresa informou que 7,3% dos pacientes que fizeram uso do medicamento foram hospitalizados nos 29 dias seguintes.

Neste período, 14,1% que receberam placebo foram hospitalizados ou acabaram morrendo. Oito pessoas que receberam comprimidos sem qualquer fórmula também faleceram. Por outro lado, não houve registro de mortes entre os pacientes que receberam a substância testada.

Medicamento e variantes

As primeiras informações indicam que o remédio é eficaz quando se trata de variantes. Isto porque o molnupiravir não tem como objetivo atingir a proteína spike do vírus, ou seja, aquela que define as diferenças entre as variantes. Assim, se mostra eficaz ainda que ocorra uma evolução do vírus.

Para interromper a replicação no organismo, o medicamento foi projetado para produzir erros no código genético do vírus, o que impede sua proliferação.

O molnupiravir será vendido em farmácias?

Como continua em fase de testes e ainda será submetido às agências reguladoras no mundo, como informou a empresa, não há previsão de comercialização. As aplicações têm ocorrido em ambiente controlado com suporte de especialistas.

No Brasil já existem outros medicamentos para a Covid-19 aprovados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). São eles: Remdesivir, Banlanivimabe e Etesevimabe (usados em conjunto), Casirivimabe e Imdevimabe (usados em conjunto), Regdanvimabe e o Sotrovimabea. No entanto, são caros e apresentam dificuldades para serem administrados uma vez que o uso é restrito ao ambiente hospitalar.

Com informações Estadão

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp