Notícias de Caçador e Região

Catarinense vive maratona de 12 voos em 14 dias para acompanhar a Seleção Brasileira na Copa

Ansiedade, expectativa e uma correria de 12 voos em 14 dias. O morador de Florianópolis, Júlio César Feijó, vive um misto de sentimentos antes de embarcar para o Catar para acompanhar três jogos da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2022.

Júlio e a esposa, Cristhine Siqueira Priebe Feijó, embarcam no próximo sábado (26) e o casal já tem entrada garantida para assistir Brasil x Suíça, no estádio 974, em Doha, no dia 26 de novembro e Camarões x Brasil, no estádio Lusail, em 2 de dezembro.

O terceiro ingresso, no entanto, vai precisar de um toque de “sorte”. Isso porque essa entrada é referente ao jogo de oitavas de final do Mundial entre o primeiro coloado do Grupo G (grupo onde está o Brasil) e o segundo do Grupo H.

Ou seja, para acompanhar o Brasil no mata-mata, o casal vai precisar que Tite e companhia avancem em primeiro lugar no grupo.

Estreia em Copas do Mundo

Essa, inclusive, será a estreia de Júlio em uma Copa do Mundo, por isso a ansiedade para a viagem acaba sendo ainda maior. Ele conta que junto com a esposa tomou a decisão de ir ao Catar ainda em 2019.

Três anos atrás, Júlio e a esposa acompanharam a goleada do Brasil por 5 a 0 em cima do Peru ainda pela primeira fase da Copa América na Neo Química Arena, em São Paulo. E isso, os motivou a “pensar grande”.

“Esse clima de festa dentro do metrô, na cidade e dentro do estádio, isso que era ‘apenas’ uma Copa América nos fez pensar: ‘se uma Copa América é assim, imagina uma Copa do Mundo”, conta Júlio.

Foi a partir deste jogo que Júlio começou a montar toda a logística, passou a pesquisar sobre preços e também sobre a cultura do Catar.

“Sou administrador, então ser esse ‘chato dos cálculos’ [risos] ajudou bastante a criar um bom roteiro para a gente”, brinca Júlio.

Maratona na compra de ingressos

Porém, logística à parte, compra ingressos para uma Copa do Mundo, em função da alta procura, não é uma tarefa fácil, e no Mundial do Catar não foi diferente.

A venda das entradas para a edição de 2022 iniciou apenas em março e torcedores precisaram entrar em um sorteio. Apenas os contemplados poderiam comprar os ingressos.

“Entramos neste primeiro sorteio e nos candidatamos para três jogos. Acabamos sorteados em Brasil x Camarões. Tendo o ingresso você começa a se planejar melhor”, explica Júlio.

Já os outros dois ingressos, o casal conseguiu “pegando fila”. “Acordamos às 6h (12h no Catar) e entramos na fila até conseguir os outros dois. Foram duas horas de fila até conseguirmos os ingressos. Pena que não deu para conseguir um no jogo contra a Sérvia”, lamenta.

Logística para chegar ao Catar

A Copa do Mundo de 2022 é no Catar, porém, Júlio e a esposa não ficarão no país. Diante das condições de preços e estrutura, o administrador conta que diante de todo o contexto será melhor ficar hospedado em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

Nos dias de jogos do Brasil, o casal pegará um avião em Dubai para Doha. O voo dura cerca de 50 minutos. “Vamos chegar de manhã, com boas horas de antecedência para poder acompanhar os jogos”, afirma Júlio.

“Já estivemos em Dubai no ano passado [2021] e acredito que diante do todo o contexto tenha as condições ideiais para aproveitarmos melhor”, completa.

Júlio trabalha até a próxima sexta-feira (27), quando pega férias e vai viajar. “A expectativa está enorme, esta semana já não estou dormindo direito”, brinca.

Confiança na Seleção Brasileira

Na opinião de Júlio, a Seleção Brasileira chega ao Catar muito bem preparada e como uma das principais favoritas ao título. “Acho que temos o melhor elenco dos últimos 20 anos. Mas vejo a estreia contra a Sérvia como o jogo mais difícil”, pontua.

Com informações ND Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.