Notícias de Caçador e Região

Casos de latrocínio em SC em 2022 já superam os registros de todo ano de 2021 

Os casos de latrocínio – roubo seguido de morte – registrados em Santa Catarina entre janeiro e outubro deste ano superaram o número contabilizado durante todo o ano de 2021. Dados do CSSPPO (Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial) mostram que foram 19 vítimas do crime até 31 de outubro. Em todo o ano passado, foram 18.

O número deste ano também está acima do registrado nos dez meses de 2020, quando foram contabilizados 17 casos de latrocínio. Por outro lado, o dado atual está abaixo do registrado em 2019, quando foram 26 casos no período.

Três casos somaram-se aos registros entre setembro e outubro deste ano, mesma quantidade entre agosto e setembro. O período que contabilizou o maior número de vítimas foi entre maio e junho, com o acréscimo de quatro vítimas de latrocínio.

Uma das vítimas é o motorista de aplicativo Luciano Lopes de Araújo, que foi encontrado morto aos 42 anos em Palhoça, na Grande Florianópolis, no dia 23 de setembro. O motorista estava desaparecido desde a manhã do dia 22, quando saiu para trabalhar do bairro Itacorubi, em Florianópolis, onde morava. O carro de Luciano foi localizado com um dos suspeitos. A arma utilizada no crime foi uma faca.

O dentista Rafael Caranhato, de 24 anos, também foi vítima de latrocínio. Ele foi encontrado morto no apartamento onde morava em Fraiburgo, no Meio-Oeste de Santa Catarina, no dia 16 de setembro, após colegas de trabalho suspeitarem da ausência do profissional no trabalho. O suspeito do crime foi preso no mesmo dia no trevo de acesso de Ibirama.

De acordo com a polícia, o rapaz estava com o carro de Rafael e pertences roubados, como playstation, televisão e roupas. No veículo ainda foram encontrados R$ 6 mil e o dedo indicador esquerdo do dentista que, segundo o suspeito, foi usado para fazer saques de dinheiro em caixas eletrônicos.

O que diz o CSSPPO

Por meio de nota, o CSSPPO afirmou que, em 2022, as taxas de latrocínio apresentam estabilidade, com diferença de apenas um caso em relação a 2021, sendo a terceira menor taxa da série histórica (desde 2008), ficando atrás somente dos anos de 2020 e 2021.

Veja a nota na íntegra:

Santa Catarina tem registrado neste ano, em comparação ao ano passado, queda de 10,7% nas mortes violentas, que envolvem homicídio, latrocínio, lesão corporal seguida de morte e confronto policial.

Em 2022, as taxas de latrocínio apresentam estabilidade, com diferença de apenas um caso em relação a 2021, sendo a terceira menor taxa da série histórica (desde 2008), ficando atrás somente dos anos de 2020 e 2021.

O Núcleo de Estatística e Análise Criminal do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial, responsável pela compilação da estatística criminal oficial do Estado, informa que SC fechou o ano de 2021 com a menor taxa de latrocínio do país, ficando 64% abaixo da taxa nacional e 31% abaixo da taxa do segundo melhor Estado (PR).

Com isso, frente aos atuais índices de latrocínio, a projeção é de que essa condição em relação às outras Unidades da Federação permaneça para o fechamento do ano de 2022.

O Governo do Estado segue investindo na segurança pública com recursos próprios, o previsto para 2022 é R$ 343 milhões por meio do programa SC Mais Segura.

 

Com informações ND Mais 

Veja Também

Comentários estão fechados.