Casal confessa que criança de três anos morreu após agressão no Oeste

Notícia Hoje

Notícia Hoje

As informações mais atualizadas de Santa Catarina, do Brasil e do Mundo!

Compartilhe

A mãe e o padrasto de Alexander Martin Figueiredo Vasquez, de três anos, confessaram que a criança morreu em decorrência de agressão física. A informação foi divulgada pelo delegado Emerson Ferreira.

Ele lembra que inicialmente o casal apresentou a versão de que a morte teria sido causada por um acidente doméstico na residência, em Bom Jesus do Sul. Contudo, após serem confrontados com a necropsia, ambos confessaram crime.

No domingo (05) o casal levou a criança ao hospital de Dionísio Cerqueira alegando que a mesma havia caído.

Após a constatação da morte, a criança foi encaminhada ao IML de São Miguel do Oeste, onde o legista constatou hemorragia aguda, ruptura de fígado e de rim, traumatismo craniano, contusão em pulmão, hemorragia abdominal e outros vários hematomas.

A mulher e o padrasto confirmaram que costumavam agredir a criança. O homem alegou que “perdia a cabeça”, e agredia o menino  tapas e socos no menino. A mãe, também agrediu a criança com tapas e com uma vara.

O acusado contou que no dia do crime, por volta de meio-dia, se irritou porque viu a criança mexendo em venenos e a agrediu com vários socos. Após isso, a criança não ficou bem e desmaiou, quando tentaram socorrer o menino levando-o ao hospital, ele já não apresentava os sinais vitais.

Investigação

Na tarde desta quarta-feira, 08, a Polícia Civil e o Instituto de Criminalísticas estiveram na casa do casal para realização de perícia criminal.

“Embora haja pequenas contradições nas versões da mãe e padastro uma coisa é certa: foi um crime brutal, que vitimou um anjo de apenas três anos de idade. Nós que trabalhamos na área de segurança lidamos diariamente com crimes e situações dramáticas, talvez por isso sejamos mais “insensíveis” às mazelas humanas. Contudo, quando nos deparamos com tamanha barbaridade, o crime ganha contornos de hediondez inenarráveis, de forma que se torna impossível não se emocionar com os fatos”, destacou o Delegado Emerson Ferreira.

O casal encontra-se preso temporariamente pelo prazo de 30 dias. Após a conclusão das investigações, os dois ficarão à disposição da Justiça para responderem pelo crime.

Com informações Clic RDC 

Receba notícias, diariamente.

Salve nosso número e mande um OK.

Ao entrar você está ciente e de acordo com todos os termos de uso e privacidade do WhatsApp