Notícias de Caçador e Região

Aumento de casos de Covid-19, em Caçador, acende novo alerta

O aumento dos casos de Covid-19, em Caçador, acendeu um novo alerta. Nesta quarta-feira, 17, o secretário de Saúde, Roberto Marton, e o diretor técnico do Hospital Maicé, Dr. Daniel Rossano Correa, fizeram um alerta, em entrevista coletiva, para que a população auxilie para evitar ainda mais o avanço da doença.

Com todos os leitos de UTI ocupados e com a enfermaria lotada, o Hospital Maicé já não tem mais como receber pacientes e isto pode fazer com que Caçador tenha que começar transferir pessoas para outras regiões.

“O fato de não haver mais leitos não é o único problema, mas a realidade é que também não há mais profissionais disponíveis para cuidar destes pacientes. Boa parte dos profissionais de saúde já foram vacinados e novos lotes já estão chegando, mas o aumento da demanda provocou este colapso, não somente em Caçador, mas em toda a região, no estado e no país”, ressaltou Marton.

“Neste momento é extremamente necessário que as pessoas se conscientizem, não façam aglomerações e não realizem festas e confraternizações. Pois estas pessoas podem adquirir o vírus e levar para dentro de suas casas e assim contaminar seus familiares”, destacou.

Já o cirurgião cardiovascular e diretor técnico do Hospital Maicé, Dr. Daniel Rossano Correa destacou que o relaxamento das medidas de isolamento e distanciamento foram sendo esquecidas e isso pode ser predominante para o crescente aumento do número de casos em Caçador e na região. “É comum passarmos em vários locais e vermos as pessoas muito próximas umas das outras. Pessoas que não utilizam máscaras e não cuidam da higienização, podem, sim, ser fundamentais para a proliferação do vírus”, frisou o médico.

Conscientização é fundamental para conter o avanço da doença

Apesar de já ter imunizado grande parte dos profissionais de Saúde do município e já estar vacinando também os idosos com idade acima de 85 anos, o secretário Roberto Marton disse a conscientização é fundamental para barrar o avanço da pandemia.

“Não queremos cercear o direito dos jovens de se divertirem, o que pedimos é respeito à vida. Queremos que eles se conscientizem e antes de saírem de casa, pensem nos seus pais, seus avós e naqueles que tem a saúde mais frágil e evitem as aglomerações.”, finalizou Marton salientando que somente com o comprometimento de todos é que poderemos vencer a doença.

Fiscalização

Além disso, a fiscalização quanto ao uso de máscara e distanciamento será intensificada. Ações com as forças de segurança e Vigilâncias Epidemiológica e Sanitária serão realizadas novamente. “As pessoas precisam entender: uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento. Isso salva vidas”, finalizou Roberto.

 

Veja Também

Comentários estão fechados.