Notícias de Caçador e Região

Saulo pede exoneração do cargo de secretário regional

O secretário do Estado do Desenvolvimento Regional Saulo Sperotto, reuniu a imprensa na tarde desta quarta-feira (27), para anunciar o seu pedido de exoneração feito na terça-feira (26), do cargo em que atua.

A decisão foi tomada após Saulo ser informado da decisão de juíza Luciana Pelisser Gottardi Trentini, na qual determinou o afastamento imediato de Saulo no cargo de secretario, na última segunda-feira (25). Saulo que estava em Florianópolis no dia em que saiu a decisão, se reuniu com advogados e encaminhou a carta pedindo a exoneração ao governador do estado, Raimundo Colombo.

Segundo Saulo, o principal motivo da decisão foi a de não prejudicar o Governo e nem a Secretaria Regional em Caçador, uma vez que, recorrendo e continuando no cargo, uma multa diária poderia ser aplicada por descumprimento de ordem judicial e os trabalhos devido ao processo poderiam ser prejudicados ou interrompidos. “Estou saindo do cargo de secretario regional para não causar complicações ao Estado, mas vou recorrer judicialmente fora do cargo até a ultima instância e vou atrás dos meus direitos”, completou.

Uma colocação importante colocada por Saulo é que a sua nomeação foi assinada pelo Governo do Estado, o qual não seria irresponsável ao ponto de nomear alguém que não tivesse seus direitos políticos cassados. “As pessoas precisam aprender a usar o poder para beneficiar a população e não usar do benefício para si mesmo. Política é se dedicar e abdicar de uma causa em benefício do melhor para a comunidade”, disse Saulo.

Sperotto aguarda o governador assinar a sua exoneração, após assinada e até sair à nomeação do novo secretário quem responde pela secretaria é o diretor geral, Francisco Stefanes.

 

Processo de 2008 ainda está no Supremo

Durante a coletiva, Saulo realizou uma breve explanação sobre a sua trajetória e sobre o processo de 2008 que cassou o seu mandato como prefeito. Sobre o processo, Saulo deixou claro que a condenação foi por abuso de poder econômico praticado por um terceiro.

“Um dia antes da eleição, recebemos a informação que terceiros iriam realizar uma suposta movimentação pelas ruas do município e que carros já aguardavam em um posto de gasolina. Devido à grande manifestação, chamaram Polícia e Ministério Público e um cidadão que lá se encontrava realizou o pagamento do combustível dos presentes. Eu não estava presente e apenas fui informado pelo telefone, o que nos deixou surpreso, uma vez que não estava agendada nenhuma carreata e nem havia solicitado acompanhamento de alguns órgãos”, ressaltou Saulo.

Após receber vitória nas eleições municipais e responder ao processo no cargo, em dois anos o seu mandato foi cassado pelo juiz local e o processo ainda está em julgamento no Supremo Tribunal Federal.

Com relação ao seu projeto político, Saulo deixou clara a sua vontade de trabalhar por Caçador e região. “Vou continuar ajudando o município, recorrer dessas sentenças para que eu possa ser beneficiado com um mandato elegível, respeitando e buscando o melhor para todos”, concluiu.

Veja Também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.