Notícias de Caçador e Região

Mãe afirma, à Caçanjurê, que vai processar o Estado

Maris Antoniolli, mãe de Ana Carolina Antoniolli, morta a facadas em Balneário Camboriú no ano passado, afirmou, para a Rádio Caçanjurê, que vai processar o Estado pela absolvição do acusado pelo crime, Pierre Reia.

Ela afirmou para a rádio que houve falhas tanto na investigação quanto no próprio júri, onde testemunhas cruciais não compareceram. “Não fizeram perícia na faca usada no crime, não pegaram as imagens do circuito interno de câmeras do prédio e muito menos levaram em conta os boletins de ocorrência que registramos antes por cárcere privado. Como que um réu confesso é absolvido e sai pela porta da frente como se não tivesse feito nada, indagou Maris.

Na época, Pierre foi preso logo depois do homicídio e teria confessado o crime à Polícia, versão que mudou no dia do julgamento. (Leia abaixo como o crime aconteceu)

A mãe da jovem comentou que um policial, amigo de Pierre que morava no mesmo prédio, foi transferido de cidade dois dias depois da morte de sua filha e não compareceu ao júri. Ela enfatizou também que outras três testemunhas de acusação não compareceram.

Os dois rapazes que estavam no apartamento onde minha filha foi morta deram o depoimento por apenas vídeo, mas afirmaram que foi o Pierre. A enfermeira que atendeu a Ana Carolina no hospital, e que foi quem ouviu minha filha dizer quem tinha a esfaqueado, não compareceu e nem justificou, explicou Maris, duvidando da transparência do julgamento.

Estou abrindo uma liminar contra o Estado e também culpo a polícia de Balneário Camboriú como cúmplice desse crime, pois foram negligentes na investigação e de certa forma coniventes com tudo que aconteceu, sendo que haviam registros das agressões e ameaças que a Ana vinha sofrendo há muito tempo, afirmou.

Maris lembrou que durante as investigações, Pierre confessou o crime. Já no júri, ele deu outra versão e acusou os dois outros rapazes que estavam no apartamento onde o homicídio aconteceu. Ele foi absolvido por unanimidade sob o argumento de falta de provas.

Mais notícias de segurança>

LEIA MAIS
Acusado de matar caçadorense a facadas em Balneário Camboriú é absolvido

 

 

 

Veja Também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.